September 2, 2019 / 5:18 PM / 2 months ago

Ministro holandês diz que não teve contato com Uber sobre plano tributário

Tela mostra logotipo do Uber no dia da estreia das ações da empresa na Bolsa de Valores de Nova York. 10/5/2019. REUTERS/Brendan McDermid

AMSTERDÃ (Reuters) - Um importante político holandês negou ter encontrado representantes do Uber, em resposta a perguntas do parlamento sobre por que a empresa foi autorizada a reivindicar uma baixa provisória de 6,1 bilhões de dólares em impostos na Holanda.

As declarações do secretário de finanças do Estado, Menno Snel, acontecem com o governo iniciando campanha para corrigir a reputação de facilitador da evasão fiscal para multinacionais.

“Não monitoramos sistematicamente contatos entre funcionários (fiscais) e... empresas, mas em geral é verdade que esses contatos ocorrem”, disse Snel em carta ao parlamento. “Quanto a mim, posso dizer que não tive contato com um representante da Uber”.

Em comunicado em 9 de agosto, o Uber informou que transferiu uma subsidiária das Bermudas, que tem propriedade intelectual, para a Holanda”, principalmente para alinhar sua estrutura às operações em evolução”.

Sediado em São Francisco, o Uber controla sua operação internacional a partir de Amsterdã, onde agora tem mais de mil funcionários.

A empresa disse que a mudança na propriedade intelectual levou a um aumento de 6,1 bilhões de dólares em “ativos fiscais estrangeiros” - ou seja, custos de investimento que podem ser deduzidos de eventuais lucros. Em 8 de agosto, o Uber registrou um prejuízo operacional de 656 milhões de dólares.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below