for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Amazon recomenda que funcionários adiem viagens não essenciais

30/12/2019. REUTERS/Pascal Rossignol

SÃO FRANCISCO, Estados Unidos (Reuters) - A Amazon informou que todos os seus funcionários devem adiar viagens não essenciais, inclusive dentro dos Estados Unidos, em uma medida do maior varejista online do mundo para se proteger contra a propagação do coronavírus pela corporação.

Dave Clark, vice-presidente sênior de operações mundiais da Amazon, notificou os funcionários sobre a recomendação na quinta-feira, informação que a Amazon confirmou à Reuters. É uma das mais recentes empresas a restringir viagens por causa da epidemia, que causou pelo menos 2.797 mortes em todo o mundo.

As bolsas de Wall Street despencaram com medo de uma pandemia. Novas infecções relatadas em todo o mundo agora excedem as da China continental, onde a doença semelhante à gripe surgiu há dois meses.

A decisão da Amazon afeta uma das maiores forças de trabalho dos EUA. Em 31 de dezembro, a empresa empregava 798 mil pessoas em período integral e parcial em todo o mundo.

Anteriormente, a Amazon havia dito que estava adotando restrições a viagens para a China.

Por Jeffrey Dastin

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up