for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Crédito bancário pode desaparecer com criptomoedas na economia, diz vice-presidente do BoE

Vice-presidente do Banco da Inglaterra (BoE), Jon Cunliffe, durante evento na sede da instituição em Londres 27/06/2017 REUTERS/Jonathan Brady/Pool

LONDRES (Reuters) - A ascensão das moedas digitais, como a libra do Facebook, pode levar a um esgotamento do fluxo de crédito para a economia em geral, afirmou o vice-presidente do Banco da Inglaterra (BoE), Jon Cunliffe, nesta sexta-feira.

Os bancos centrais estão lidando com as implicações das criptomoedas para suas economias, e o BoE havia alertado anteriormente que os riscos da libra e de outras novas formas de pagamento devem ser considerados com cuidado antes que sejam aprovados.

Cunliffe disse que é possível que as chamadas stablecoins, vinculadas a gigantes da tecnologia e plataformas de mídia social, levem as pessoas a transferir muito ou todo seu dinheiro das contas bancárias para carteiras virtuais fornecidas por empresas não bancárias.

“Nesse mundo, e dependendo de como e se as stablecoins sejam lastreadas com outros ativos financeiros, a oferta de crédito à economia real por meio do sistema bancário pode se tornar mais fraca ou até desaparecer”, disse ele. “Isso seria uma mudança com profundas consequências econômicas.”

As autoridades precisam garantir que quaisquer stablecoins usadas como dinheiro atendam aos padrões aplicados ao dinheiro dos bancos comerciais e sejam aprovadas em outros testes em áreas como concorrência, proteção de dados e combate à lavagem de dinheiro, disse Cunliffe.

Por William Schomberg

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up