for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Trabalho remoto pode ajudar Microsoft aliviar impactos do coronavírus

Logotipo da Microsoft. 24;2;2019. REUTERS/Sergio Perez

(Reuters) - Quando a Microsoft reportar os resultados trimestrais na quarta-feira, analistas esperam que algumas áreas de seus negócios sejam afetadas pela pandemia de coronavírus, com vendas abaixo do esperado em áreas como publicidade.

Mas os analistas também esperam um aumento no uso dos serviços de computação em nuvem e ferramentas de colaboração da Microsoft, como o aplicativo Teams, à medida que mais empresas são efetivamente forçadas a entrar na nuvem por terem que trabalhar de casa, escreveram os analistas Sarah Hindlian-Bowler e Calvin Patel, da Macquarie Capital. Os analistas esperam que esses estímulos compensem parte das quedas e posicionem a Microsoft tão ou melhor que seus pares, à medida que o impacto econômico total da pandemia fique mais claro.

Analistas esperam que a Microsoft registre 33,6 bilhões de dólares em receita e lucro de 1,27 dólar por ação no terceiro trimestre fiscal, acima dos 30,5 bilhões e 1,14 dólar por ação no ano anterior, segundo dados do IBES da Refinitiv.

Os maiores impulsionadores continuarão sendo a plataforma de computação em nuvem da Microsoft, que compete com o Amazon Web Services da Amazon.com e seu software online para empresas.

O aplicativo Teams se beneficiou dos pedidos de estadia em casa em muitos países, atingindo 44 milhões de usuários no mês passado. Embora grande parte do aumento esteja relacionada ao novo coronavírus e possa desaparecer à medida que os empregados retornam aos escritórios, Hindlian-Bowler e Patel da Macquarie esperam que a adoção das equipes remotas seja permanentemente mais alta do que antes.

Em outros segmentos, os analistas esperam que as receitas sejam mais fracas do que o previsto, incluindo o uso pago do LinkedIn, ferramentas de software projetadas para servidores de computadores localizados em datacenters e até vendas do Windows para computadores pessoais, interrompidas com as fábricas na China fechando durante no primeiro trimestre deste ano.

Algumas dessas fontes de receita podem voltar. Após atingir a escassez de suprimentos, por exemplo, os pedidos de laptops se recuperaram quando empresas e consumidores compraram máquinas para trabalhar em casa, um impacto que pode aparecer no relatório de resultados do próximo trimestre da Microsoft.

As vendas em outras unidades mais dependentes de grandes acordos únicos, como software de servidor local, podem ficar deprimidas por meses, pois as empresas colocam gastos não essenciais em segundo plano. Mas grande parte da receita da Microsoft mudou para a assinatura ou o faturamento baseado no consumo, o que deve amenizar o efeito.

Reportagem de Stephen Nellis

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up