for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Processo acusa Google de gravar passos dos usuários mesmo quando optam para não serem monitorados

REUTERS/Arnd Wiegmann

OAKLAND, Estados Unidos (Reuters) - O Google registra o que as pessoas estão fazendo em centenas de milhares de aplicativos mesmo quando elas seguem passos recomendados pela empresa para interromperem tal monitoramento, afirma um processo nos Estados Unidos que busca condição de ação coletiva.

O processo é o segundo encaminhado em vários meses contra a empresa pelo escritório de advocacia Boies Schiller Flexner em nome de alguns consumidores. Os clientes do escritório também incluem rivais do Google, como Facebook e Oracle.

Representantes do Google não comentaram o assunto.

O novo processo acusa o Google de violar leis federais e estaduais ao registrar o que os usuários estão vendo em notícias, aplicativos de transporte e outros tipos apesar de terem desligado a função de monitoramento “Web & App Activity” em suas contas no Google.

O processo alega que o registro dos dados acontece por meio do Firebase do Google, um conjunto de softwares populares entre desenvolvedores de aplicativos para registro de informações, entrega de notificações e anúncios publicitários, e monitoramento de falhas e cliques. O Firebase normalmente opera dentro dos aplicativos, fora da vista dos usuários deles.

“Mesmo quando os usuários seguem as próprias instruções do Google para desativarem a função ‘Web & App Activity’ nas configurações de privacidade, o Google continua a interceptar o uso de aplicativos e comunicações e informações pessoais”, alega o processo.

Por Paresh Dave

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up