for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Slack pede que UE abra investigação antitruste contra Microsoft

Logotipo da Slack. 20/6/2019. REUTERS/Brendan McDermid

BRUXELAS (Reuters) - O aplicativo de mensagens corporativas Slack pediu nesta quarta-feira que reguladores antitruste da União Europeia investiguem a Microsoft por supostamente abusar de seu domínio de mercado.

A Slack disse que o problema é o software de produtividade Teams, da Microsoft, que registrou aumento na demanda, pois os funcionários trabalham remotamente devido a bloqueios que visam retardar a propagação do coronavírus.

A empresa informou que apresentou queixa contra a Microsoft na Comissão Europeia. O Teams compete com a Slack e o Zoom, que também tiveram maior demanda por chamadas de vídeo.

“A Microsoft vinculou ilegalmente seu produto Teams ao seu conjunto de produtividade Office dominante no mercado, forçou a instalação por milhões, bloqueou sua remoção e escondeu o verdadeiro custo para os clientes”, afirmou a Slack.

Seu conselheiro geral David Schellhase acusou a Microsoft de reverter comportamentos passados. “Eles criaram um produto fraco e imitador, vinculando-o ao produto dominante do Office, forçando a instalação e o bloqueio de sua remoção, uma cópia oculta de seu comportamento ilegal durante as ‘guerras dos navegadores’”, disse ele.

A Comissão Europeia, que multou a Microsoft em 2,2 bilhões de euros em uma investigação de uma década por usar mecanismos irregulares para segurar clientes, confirmou o recebimento da denúncia, dizendo que avaliará segundo seus procedimentos.

A Microsoft não respondeu de imediato a um pedido de comentário.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up