2 de Junho de 2008 / às 13:34 / em 9 anos

Robôs emotivos aprendem com crianças

Por Syantani Chatterjee

PASADENA, Estados Unidos (Reuters) - O Keepon, um robô em forma de homem de neve, com pele de silicone amarelo brilhante, balança o corpo de um lado para outro quando fica alegre e saltita de animação como uma criança.

Talvez ele não experimente a vida da mesma maneira que os seres humanos, mas consegue expressar algumas de suas emoções, por mais básicas que sejam, e com isso derruba o estereótipo de que robôs não têm emoções.

Os oito Keepons existentes se revezam interagindo com crianças e, com a ajuda de cientistas, reagem aos movimentos e expressões faciais exageradas que costumam caracterizar essa idade.

“Esse robô consegue reconhecer um rosto que traga uma expressão acolhedora, por exemplo”, disse Hideki Kojima, criador do Keepon e cientista sênior do National Institute of Information and Communications Technology, no Japão.

Desde 2003, o Keepon vem sendo usado para estudar de que maneira as crianças desenvolvem o comportamento social.

“O objetivo do robô é ajudar os psicólogos infantis a compreender como as crianças se desenvolvem socialmente aos dois e três anos de idade”, disse Kozima.

“Elas começam a se comunicar umas com as outras, a reconhecer expressões sociais e a desenvolver sentimentos de empatia. Estamos tentando incorporar esse tipo de compreensão do comportamento social nos robôs”, explicou ele.

O Keepon usa pequenas câmeras como olhos e tem um microfone no nariz. O robô, feito de material flexível, tem um palmo de altura e seu interior é quase vazio. Ele opera sobre uma base em forma de barril que oculta quatro motores e duas placas de circuito, seus principais componentes robóticos.

O Keepon venceu o desafio de interação entre robôs e seres humanos deste ano, na IEEE International Conference for Robotics and Automation, que aconteceu este mês em Pasadena.

Marek Michalowski, estudante de doutorado na Carnegie Mellon University, da Pensilvânia, ajudou a equipar o Keepon com traços complexos que o tornam menos robóticos.

“Queremos produzir robôs mais humanos, ou naturais”, disse Michalowski.

Ele e Kojima criaram um vídeo do Keepon dançando ao som de "I Turn My Camera On", do grupo de rock alternativo Spoon, e o vídeo se tornou sucesso no YouTube (here).

O ritmo do Keepon era tão bom que a banda o convidou a estrelar seu vídeo "Don't You Evah", no papel de um dançarino procurando um parceiro (here).

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below