16 de Dezembro de 2008 / às 18:20 / em 9 anos

Com satélite, Embratel quer atrair classe C para TV paga

Por Taís Fuoco

SÃO PAULO (Reuters) - Depois de criar uma opção de acesso à Internet para a classe C em agosto, a Embratel Participações lança neste mês um serviço de TV paga que também tem nessa faixa de público o seu alvo.

Para isso, a companhia vai utilizar a licença de TV via satélite que conseguiu junto à Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) em abril deste ano, além de sua rede de satélites próprios Star One série C2.

O serviço está disponível, neste momento, em algo como 400 cidades, das quais 75 por cento das capitais brasileiras, como explicou Antonio João, diretor responsável pelo Via Embratel, nome dado à TV paga da companhia.

A nova operação terá alguns diferenciais em relação aos serviços oferecidos pelas principais empresas de TV paga do Brasil.

O Via Embratel, por exemplo, não carregará os canais de TV aberta em sua grade. "Se colocássemos teríamos de repetir a programação de todas as afiliadas e precisaria um satélite só para isso", explicou o executivo.

Segundo ele, o público da periferia das grandes cidades e os municípios do interior, que são o foco da Embratel neste momento, "já tem uma solução para os canais abertos", como o uso de antena externa.

O serviço também não prevê a oferta de banda larga, diferentemente das ofertas da NET, maior operadora de TV paga do país, ou da Telefônica, que adquiriu parte das operações da TVA para formar pacotes.

De acordo com Antonio João, até o primeiro trimestre de 2009 a Embratel vai combinar outros produtos na oferta de TV paga, mas entre eles estão descontos no uso do código 21 da Embratel para chamadas de longa distância e o telefone fixo da companhia, o Livre, nas regiões em que ele estiver disponível.

Ele afirmou que em algumas localidades o Livre inclui conexão à Internet, no serviço batizado de Livre.com, mas ela é de banda estreita.

Pelas características do público que quer atingir, a Embratel também deu preferência a canais que tenham a programação dublada, e não legendada, porque detectou em pesquisas que seu público tem essa preferência, segundo o executivo.

São dois pacotes de canais, o Essencial e o Família, a preços a partir de 59,90 reais mensais. A qualquer um dos pacotes pode-se acrescentar o pacote Cinema, que inclui os 5 canais Telecine, ampliando a mensalidade em 30 reais.

PARCEIROS VENDEM E INSTALAM

Há seis meses, a Embratel tem selecionado parceiros em cada região para a instalação e também as vendas ativas do Via Embratel. Por isso, apesar da licença ser nacional, o serviço só está disponível em 400 cidades.

Até abril de 2009, no entanto, a companhia espera ter ampliado a cobertura do serviço para 90 por cento da área geográfica brasileira, já que até lá espera ter cadastrado instaladores em todas as regiões.

A companhia não fornece estimativa de quantos clientes espera conquistar com o Via Embratel, mas Antonio João informa que, a partir de pesquisas, a empresa detetou que "tem boa parte da população, principalmente da classe C, que hoje não tem uma oferta adequada de TV por assinatura".

Como é acionista minoritária da NET, a Embratel não pretende vender ativamente o serviço Via Embratel aonde existir a rede de cabos da NET, mas Antonio João explica que, se o cliente quiser e procurar a companhia, não deixará de vender mesmo a ex-assinantes da NET. "É melhor que ele venha para nós que ir para a concorrência", afirmou.

Edição de Vanessa Stelzer

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below