3 de Março de 2009 / às 15:03 / 8 anos atrás

Intel e TSMC formam aliança em busca de novos mercados

Por Janet Kornblum e Baker Li

SAN FRANCISCO/TAIPÉ (Reuters) - A Intel desenvolverá chips de baixo custo para laptops compactos com a TSMC, de Taiwan, a fim de equipar diversos aparelhos eletrônicos, o que ajudaria ambas as empresas a se expandir para novos mercados em meio à recessão mundial cada vez mais profunda.

A Intel vem há muito insistindo em fabricar seus próprios microprocessadores, mas cada vez mais procura parceiros que a ajudem a ingressar em novos mercados e estendam sua capacidade de produção. Houve especulações no mercado quanto à possibilidade de que a Intel terceirizasse a produção de chips para reduzir custos, diante da perda de demanda.

A maior fabricante mundial de chips anunciou que planeja colocar sua plataforma Atom em chips únicos que se comportam como um computador completo, o conceito de computador em um chip.

Mas a Intel enfatizou que não transferirá sua valiosa tecnologia de processos de produção à TSMC.

Alguns analistas dizem que a Intel poderia estar realizando uma experiência com a TSMC antes de embarcar em terceirização mais ampla. Nenhuma das duas empresas divulgou metas, produtos específicos ou cronogramas para a parceria.

"Que eles cheguem à decisão de terceirizar a produção de qualquer produto que projetem representa uma mudança imensa em sua atitude", disse Patrick Wang, analista do Wedbush. "A Intel pode estar testando as águas com a TSMC."

A Intel está interessada em se expandir para além dos computadores pessoais e em ganhar espaço no mutável mundo dos eletrônicos, "mas no passado teve seus esforços nesse sentido frustrados", escreveram analistas da PiperJaffrays em nota divulgada na segunda-feira.

Fechar acordo com a TSMC abrirá novos mercados para a Intel de maneira muito mais rápida do que a gigante dos chips poderia realizar por conta própria. E o acordo valida a grande carteira de propriedades intelectuais e capacidade de produção da TSMC, dizem os analistas.

A Intel vai transferir os núcleos de seus processadores Atom para a plataforma tecnológica da TSMC.

"É a escolha certa. A Intel tem de se curvar à realidade de que não são bons em tudo", disse Hans Mosemann, analista da Raymond James.

CRISE

As vendas mundiais de chips despencaram 29 por cento em janeiro para 15,3 bilhões de dólares, segundo a Associação da Indústria de Semicondutores.

A Intel está investindo pesado para mudar sua tecnologia para a geração de produção de chips de 32 nanômetros, enquanto tenta simultaneamente cortar custos para preservar suas margens de lucro.

A companhia planeja fechar fábricas na Malásia e nas Filipinas e a unidade restante no Vale do Silício vai eliminar até 6.000 empregos.

Na tecnologia de 32 nanômetros, a empresa pretender investir 7 bilhões de dólares em dois anos.

A Intel já mantém uma joint-venture com a Micron Technology para produção de chips de memória flash NAND usados para armazenamento de dados em aparelhos como câmeras digitais e celulares.

Como os custos de produção de chips disparou nos últimos anos, muitas empresas, incluindo a fabricante de processadores gráficos Nvidia passaram a adotar estratégias de redução de capacidade própria de fabricação.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below