16 de Abril de 2009 / às 13:50 / em 9 anos

Visibilidade de setor celular melhora no trimestre, diz Nokia

Por Tarmo Virki

<p>Celular da Nokia &eacute; exibido em Helsinque. Maior fabricante mundial de celulares, a Nokia acalmou investidores nesta quinta-feira ao reafirmar sua proje&ccedil;&atilde;o para o mercado de aparelhos, dizendo que a visibilidade do setor est&aacute; melhorando. A not&iacute;cia fazia as a&ccedil;&otilde;es da companhia disparar mais de 10 por cento.</p>

HELSINQUE (Reuters) - Maior fabricante mundial de celulares, a Nokia acalmou investidores nesta quinta-feira ao reafirmar sua projeção para o mercado de aparelhos, dizendo que a visibilidade do setor está melhorando. A notícia fazia as ações da companhia disparar mais de 10 por cento.

As vendas de janeiro a março caíram 27 por cento, conforme o declínio econômico enfraqueceu a demanda por novos celulares, levando a companhia a registrar seu primeiro prejuízo trimestral antes de impostos, de 12 milhões de euros (15,79 milhões de dólares).

O mercado de aparelhos enfrenta em 2009 o ano mais difícil de sua história e a Nokia reafirmou projeção de queda de quase 10 por cento nos volumes de vendas.

Apesar disso, as ações da companhia saltavam, motivadas pela manutenção da estimativa após um trimestre sombrio marcado basicamente por notícias negativas. Às 10h36 (horário de Brasília), os papéis da Nokia avançavam 10,5 por cento, cotados a 11,19 euros.

O presidente-executivo da empresa, Olli-Pekka Kallasvuo, afirmou que a quantidade de celulares não vendidos por lojas e distribuidores diminuiu substancialmente no trimestre.

“(Isso) também fez com que o quadro da demanda se torne mais previsível à medida em que entramos no segundo trimestre”, disse ele.

Já o vice-presidente de finanças da Nokia, Rick Simonson, afirmou à Bloomberg TV que era muito cedo para dizer que o mercado já atingiu o fundo do poço.

Para combater a desaceleração da demanda, a Nokia focou nos cortes de despesas no início de 2009, reduzindo postos de trabalho em suas operações, além de interromper o uso de serviços terceirizados na fabricação dos aparelhos.

A margem de lucro na unidade de celulares caiu para 10,4 por cento no trimestre, mas superou a estimativa média de analistas de 8,6 por cento.

“Eu acho que o principal número é a margem dos celulares, que está acima de 10 por cento, e isso é melhor do que o esperado”, disse James Dawson, analista da Morgan Stanley.

MANTENDO PROJEÇÃO

A Nokia reafirmou que a margem de lucro operacional em sua principal unidade de celulares atingirá 10 por cento na primeira metade do ano, e ficará na faixa de 13 e 19 por cento no segundo semestre.

A companhia informou que espera que o mercado desacelere no segundo semestre do ano.

“Embora seja outro desempenho fraco, mantivemos nossa convicção de que a Nokia está em uma posição relativamente mais forte do que a concorrência com margens maiores e vantagem significativa de escala e distribuição”, disse Geoff Blaber, analista da CCS Insight.

A Sony Ericsson informou que divulgará na sexta-feira um prejuízo maciço relativo ao primeiro trimestre, enquanto a Motorola também enfrenta dificuldades.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below