5 de Novembro de 2009 / às 09:53 / em 8 anos

Vivo tem lucro 2,5 vezes maior no 3o trimestre

Por Cesar Bianconi

SÃO PAULO (Reuters) - A melhora do desempenho operacional e financeiro garantiu à Vivo lucro líquido de 340 milhões de reais no terceiro trimestre, alta de 154 por cento em relação ao ganho de 133,9 milhões de reais um ano antes.

A receita líquida de serviços da empresa de telefonia móvel --que é controlada por Telefónica e Portugal Telecom-- totalizou 3,8 bilhões de reais de julho a setembro, ante 3,6 bilhões de reais nos mesmos três meses de 2008.

A empresa encerrou setembro com quase 49 milhões de clientes, expansão de 15,5 por cento em 12 meses. A receita média por assinante no terceiro trimestre foi de 26,4 reais, queda de 10,2 por cento ante o mesmo intervalo de 2008, porém alta de 0,4 por cento sobre o segundo trimestre deste ano.

“Tivemos um componente de crescimento de receita e uma boa gestão de custos. Neste trimestre, especialmente, fizemos isso mantendo uma agressividade compatível com o nível de competição que existe no mercado”, disse à Reuters o presidente da Vivo, Roberto Lima.

Segundo o presidente da Vivo, o mercado celular “está extremamente aquecido”. Ele citou a rival Oi em busca de espaço no Estado de São Paulo e a TIM “querendo recuperar posição”.

“A Vivo terminou o trimestre ganhando um pouco de market share sem prejudicar seu resultado... Conseguimos fazer crescer a receita mesmo com uma política de preços agressiva”, destacou o executivo.

O total de custos operacionais da Vivo, sem considerar depreciação e amortização, ficou em quase 2,7 bilhões de reais nos três meses até setembro, queda de 2,6 por cento ante o registrado um ano atrás.

A empresa reduziu de forma significativa provisão para devedores na comparação com setembro de 2008, em quase 58 por cento, para 30,2 milhões de reais.

Além do lado operacional, o resultado financeiro impulsionou o lucro líquido da Vivo no último trimestre. A despesa financeira líquida caiu de 192,1 milhões de reais há um ano para 90,8 milhões de reais de julho a setembro. A empresa citou o ajuste a valor presente de ativos e passivos e uma menor taxa de juros efetiva sobre a dívida.

A geração de caixa medida pelo Ebitda --sigla em inglês para lucro antes de juros, impostos, amortização e depreciação-- ficou em 1,4 bilhão de reais no terceiro trimestre, com margem de 34,4 por cento. Um ano atrás, o Ebitda foi de 1,3 bilhão de reais, com margem de 32,5 por cento.

A Vivo encerrou setembro com dívida líquida de 4,2 bilhões de reais, acima dos cerca de 4 bilhões de reais um ano antes e abaixo dos 4,7 bilhões de reais de junho.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below