25 de Março de 2011 / às 12:53 / em 6 anos

iPad 2 chega a lojas no exterior depois de esgotar nos EUA

Por Amy Pyett e Gyles Beckford

WELLINGTON/SYDNEY (Reuters) - Centenas de compradores formaram longas filas diante de lojas da Apple nesta sexta-feira para o lançamento internacional do iPad 2, que vem sendo vendido rapidamente nos Estados Unidos, causando dificuldades à empresa para atender a demanda.

Analistas estimam que cerca de 1 milhão de aparelhos podem ter sido vendidos no primeiro final de semana de comercialização nos EUA, e muitos alertam que não está claro de que maneira problemas de suprimento podem afetar a disponibilidade depois que um terremoto e tsunami prejudicaram o setor tecnológico japonês.

O iPad 2, uma versão mais fina e mais rápida do tablet da Apple que incorpora duas câmeras para bate-papo em vídeo, foi lançado em 11 de março nos EUA. Alguns consumidores expressaram frustração diante da dificuldade de encontrar o produto, o que criou avaliações no mercado de que a Apple possa ter subestimado a demanda.

O lançamento internacional começou pela Nova Zelândia, seguida pela Austrália, e se estenderá a outros países entre os quais França, Reino Unido, Dinamarca, Alemanha, Itália, Holanda, Espanha, Canadá e México.

"Fantástico, minha irmã vai adorar", disse Alex Lee, um mochileiro canadense que tinha em mãos um iPad 2. Ele ocupava o primeiro lugar da fila formada duas noites antes diante da loja da Apple no centro financeiro de Sydney.

"Não fosse o iPad, eu não estaria na Austrália hoje", disse Lee, que já tinha comprado um iPad 2 nos EUA. "É como um hábito. Também entrei na fila para comprar o iPhone, na Regent Street, em Londres."

O presidente-executivo da Apple, Steve Jobs, declarou na terça-feira que a empresa estava "trabalhando com dedicação para produzir iPads para todos", numa reação aos problemas que vem sendo encontrados para atender a demanda norte-americana.

Fiona Martin, porta-voz da Apple na Austrália, se recusou a comentar sobre haver ou não estoque suficiente para atender a demanda, mas tentou acalmar os temores. "Temos um bom estoque aqui para o pessoal que está nas filas", disse.

O primeiro iPad, que chegou ao mercado um ano atrás, vendeu 500 mil unidades na primeira semana e chegou à marca do milhão em 28 dias. Quase 15 milhões de iPads foram vendidos em nove meses, em 2010, duas ou três vezes mais que os analistas haviam previsto.

Analistas antecipam vendas de 30 milhões de unidades ou mais este ano, o que deve gerar um faturamento de 20 bilhões de dólares, mesmo diante dos aparelhos rivais lançados por outras empresas.

A equipe da Apple em Sydney distribuiu sanduíches para os compradores que esperavam na fila, e em Perth foram distribuídos água, sorvete e protetor solar, por conta de uma temperatura que deve chegar aos 36 graus.

Já em Helsinque, onde o iPad 2 deve começar a ser vendido em algumas horas, a neve e temperaturas de menos três graus pareciam estar dissuadindo os compradores de formar filas.

Myles Jihme, estudante da Malásia, aguardava diante da loja da Apple em Sydney e disse que pretendia comprar dois iPads, o máximo permitido pela Apple, e que leiloaria um deles para fins de caridade. "O dinheiro vai para um fundo de assistência ao Japão", disse.

Na Ásia, o iPad 2 estará oficialmente disponível em Hong Kong, Coreia do Sul, Cingapura e outros países a partir de abril.

PROBLEMAS DE SUPRIMENTO NO JAPÃO

Depois de criar o mercado de tablets com o iPad original, a Apple vai enfrentar mais concorrência da parte de rivais que tentam recuperar o atraso.

A Samsung Electronics e a Motorola já tem tablets no mercado, e a Research in Motion, fabricante do BlackBerry, e a Hewlett-Packard planejam lançar rivais nos próximos meses.

Analistas também creem que a Apple possa enfrentar escassez de componentes importantes para o iPad 2 devido ao terremoto e tsunami que atingiram o Japão duas semanas atrás.

O país tem posição crucial em diversos setores e o impacto já se fez sentir nas cadeias de suprimentos de setores como automotivo, telecomunicação e eletrônica.

Diversos componentes importantes da nova versão do iPad vêm do Japão, entre os quais a bateria e a memória flash usada para armazenar música e vídeos no aparelho, de acordo com o grupo de pesquisa de tecnologia da informação iSuppli.

A Apple adiou o lançamento do iPad 2 no Japão, mas disse que essa decisão não se deve à escassez de componentes.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below