27 de Fevereiro de 2013 / às 19:19 / 4 anos atrás

Cortes de custos na France Telecom trarão resultado em 2014--CEO

Por Leila Abboud

PARIS, 27 Fev (Reuters) - O presidente-executivo da France Telecom confia que pode estabilizar os lucros operacionais no próximo ano devido ao grande esforço de corte de custos e à esperada contenção na queda dos preços da telefonia móvel no mercado doméstico.

Stephane Richard admitiu em entrevista que investidores estavam céticos de que a operadora vá entregar as promessas financeiras, mas disse que eles estavam subestimando a dedicação do grupo de cortar custos na França.

"Acreditamos que não haverá mais espaço para cortes de preços na telefonia móvel na França além do próximo ano, e a partir disso vamos ser capazes de medir o impacto de nossas medidas sobre redução de custo", disse Richard à Reuters durante a Mobile World Congress, em Barcelona.

"Isso nos permitirá estabilizar o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização)", acrescentou.

O mercado francês de telefonia móvel tem passando por turbulências após a chegada dos serviços de baixo custo Free Mobile, da operadora Iliad, que já conquistou uma fatia de 7 por cento do mercado após seu lançamento, há um ano.

France Telecom, SFR, da Vivendi, e Bouygues Telecom reagiram com cortes de preços, causando queda de 13 por cento nos preços no ano passado, segundo o regulador de telecomunicações.

Em contrapartida, SFR e Bouygues estão fazendo demissões e cortando custos.

A France Telecom, na qual o governo francês detém 27 por cento e a qual ainda tem muitos funcionários públicos entre seus 105 mil empregados na França, está contando com aposentadorias para reduzir sua força de trabalho em 30 mil pessoas até 2020.

"O grupo está trabalhando intensamente para reduzir custos. A maioria das economias virá da redução da força de trabalho na França", disse Richard.

A France Telecom quer reduzir custos operacionais, incluindo em marketing e tecnologia da informação, em 500 milhões de euros na França neste ano.

A empresa também está no meio da construção de sua rede de telefonia móvel de quarta geração (4G) e até agora só lançou o serviço em algumas cidades. A companhia mira por 30 por cento de cobertura 4G até o fim do ano.

Por Leila Abboud

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below