25 de Março de 2014 / às 19:39 / em 4 anos

Novo presidente da Microsoft pode anunciar versão do Office para iPad na 5a

Por Bill Rigby

SEATTLE, Estados Unidos (Reuters) - Satya Nadella, indiano que se autodescreve como fanático por críquete e que assumiu como presidente-executivo da Microsoft no mês passado, faz sua estreia pública na quinta-feira e a previsão é que parta para a ofensiva com algumas tacadas ousadas.

Quando Nadella comandar sua primeira grande entrevista coletiva esta semana, é provável que ele descreva - se não lançar oficialmente - versões do Word, Excel e PowerPoint projetadas para o tablet iPad, da Apple, para faturar em um mercado estimado em até 7 bilhões de dólares ao ano.

A tecnologia por trás do software não é inovadora, mas a estratégia é a seguinte: ele coloca o Office no centro do esforço da empresa para se tornar líder em serviços através de uma variedade de plataformas - possivelmente em detrimento do Windows e o seu próprio tablet Surface.

Essa vontade de romper com a tradição do Windows, que continua a ser o legado mais duradouro do co-fundador Bill Gates, tem ajudado a impulsionar as ações da Microsoft a mais de 40 dólares, para níveis não vistos desde o boom da Internet no ano 2000.

Wall Street agora está cautelosamente otimista sobre uma empresa que ganha bilhões de dólares por ano mas que corre o risco de obsolescência gradual em uma indústria de tecnologia movida a telefonia móvel.

“O fato de que Nadella vai puxar o gatilho (do Office) mostra que ele não é apenas um funcionário que vai manter o status quo. Agora, é uma folha de papel em branco”, disse o analista da FBR Capital Markets, Daniel Ives.

Dependendo do preço que a Microsoft cobrará pelo Office para iPad e quantas das dezenas de milhões de usuários do iPad irão adotá-lo, a empresa poderia arrecadar algo entre 840 milhões e 6,7 bilhões de dólares por ano em receitas, estima o analista do Barclays, Raimo Lenschow.

Rick Sherlund, analista do Nomura, foi mais cauteloso sobre as previsões de resultados. Ele estima que um Office para iPad geraria apenas 1 bilhão de dólares ou um pouco mais em novas receitas ao ano, já que muitos usuários em potencial já têm licenças corporativas que podem ser convertidas para o novo produto.

Além disso, não está claro o quanto da receita será entregue à Apple, que geralmente leva cerca 30 por cento das vendas de aplicativos por meio de sua loja.

Representantes da Microsoft e da Apple se recusaram a comentar o assunto.

Na quinta-feira, Nadella tem na agenda oficial comentários sobre estratégias para mobilidade e computação em nuvem. Mas investidores e analistas da indústria estarão interessados em sinais do novo presidente-executivo sobre seu interesse em levar a Microsoft para uma direção radicalmente diferente.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below