December 18, 2018 / 11:12 AM / a year ago

DIs têm leves oscilações à espera de Fed e após ata reforçar comunicado do Copom

SÃO PAULO (Reuters) - As taxas dos contratos futuros de juros registravam leves oscilações nesta terça-feira, com os investidores atentos ao mercado internacional diante da expectativa pelo comunicado do encontro de política monetária do Federal Reserve no dia seguinte, em tempos de preocupação com uma desaceleração econômica global.

Imagem ilustrativas de moeda de 1 real 15/10/2010 REUTERS/Bruno Domingos

“Espera-se (que o Fed) aumente sua taxa básica de juros pela quarta e última vez em 2018... Embora os temores de aumento das taxas de juros tenham assustado os mercados ao longo do ano, essas preocupações aumentaram no último mês, à medida que as expectativas de inflação e crescimento (nos EUA) recuaram”, destacou, em relatório, a CM Capital Markets.

Nas últimas semanas, cresceram as preocupações sobre desaceleração da economia mundial, em meio à guerra comercial entre Estados Unidos e China, e também de recessão na maior economia mundial, sobretudo depois que a curva de juros norte-americana começou a se achatar, fato que antecedeu as últimas recessões no país.

Neste ambiente, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, voltou a criticar a atuação do banco central norte-americano. Na véspera, disse que a autoridade monetária não deveria subir novamente os juros, defendendo que sigam baixos para apoiar a economia do país de forma mais ampla.

O Fed encerra na quarta-feira sua reunião de dois dias e a expectativa majoritária é de que subirá a taxa de juros pela quarta vez neste ano. O mercado quer pistas sobre a trajetória à frente, depois que autoridades do banco central indicaram que os juros estão perto da taxa neutra.

Até então, o Fed estima três novos aumentos em 2019 e um derradeiro no início de 2020.

Internamente, o destaque é a ata do último encontro de política monetária do Banco Central que, no entanto, veio em linha com o conteúdo do comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom) divulgado após a manutenção da Selic em 6,50 por cento, na quarta-feira passada.

“A ata do Copom indicando que ‘cautela, serenidade e perseverança nas decisões têm sido úteis para a perseguição de seu objetivo’ nos leva a crer que de fato teremos uma maior manutenção do que o esperado caso o cenário não se altere abruptamente (principalmente externo)”, disse o operador da Renascença Corretora Luis Felipe Laudísio.

No documento, o BC traçou um quadro favorável para a inflação, que joga para um futuro indeterminado eventual início de aperto nos juros após deixar de mencionar essa possibilidade em suas comunicações, mas alertou que os riscos altistas para o IPCA seguem fortes em seu radar. Dois novos indicadores divulgados nesta manhã confirmam a inflação sob controle

A curva a termo precificou para o primeiro encontro de política monetária do BC em 2019, em 5 e 6 de fevereiro, 84 por cento de chance de estabilidade da taxa, com o restante indicando alta de 0,25 ponto percentual. Na véspera, 76 por cento das chances indicavam chance de manutenção.

Por Claudia Violante

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below