September 5, 2018 / 2:03 PM / 20 days ago

DIs têm leves baixas com correção mas inquietação por cena externa e eleição permanece

SÃO PAULO (Reuters) - As taxas dos contratos futuros de juros abandonaram a alta do início dos negócios e passaram a operar com leves quedas, depois que o dólar reduziu sua valorização ante o real e deu brecha para uma correção diante de um certo alívio no mercado externo.

Ainda assim, a inquietação segue no ar uma vez que os investidores seguem atentos à guerra comercial, à situação dos países emergentes e à cena eleitoral local.

“Os DIs subiram bem na abertura, aí lá fora aliviou um pouco e os investidores viram uma brecha para corrigir”, explicou o chefe da mesa de renda fixa de uma corretora local.

No início dos negócios, tanto DIs quanto o dólar ante o real subiram firme, com a continuidade da aversão ao risco externa, principalmente em relação aos emergentes, e ainda diante das preocupações com os desdobramentos da guerra comercial norte-americana.

O contrato com vencimento em janeiro de 2023, por exemplo, avançou 0,40 ponto percentual apenas nos dois últimos pregões e, considerando a máxima desta quarta-feira, o avanço chegou a 0,52 ponto percentual.

O dólar subia ante a maioria das divisas de países emergentes, mas o movimento aliviou um pouco ao longo da manhã, favorecendo a correção.

Entretanto, ela pode não se sustentar. O noticiário eleitoral doméstico continua suscitando cautela, um dia depois que o Ibope decidiu suspender a divulgação de pesquisa de intenção de votos diante do cenário indefinido sobre a chapa petista à Presidência. O Datafolha cancelou sua pesquisa e anunciou que fará outra.

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva teve sua candidatura barrada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na madrugada do último sábado com base na Lei da Ficha Limpa. A Justiça deu até o dia 11 de setembro para o PT escolher um substituto para a cabeça de chapa.

O mercado vê o PT como menos comprometido com as contas públicas. Como Lula lidera todas as pesquisas de intenção de votos, os investidores temem que sua exposição maior dê força à transferência de votos ao candidato a vice Fernando Haddad.

A curva a termo precificava nesta quarta-feira 88 por cento de chance de alta de 0,25 ponto percentual da Selic em setembro, com o restante indicando manutenção, segundo operadores. Na véspera, a curva indicava 92 por cento de chances de alta de 0,25 ponto percentual da Selic em setembro, com o restante apontando alta de 0,50 ponto percentual. A Selic está na mínima histórica de 6,50 por cento ao ano.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below