November 23, 2018 / 11:58 AM / 24 days ago

DIs recuam com IPCA-15 e indicações políticas; exterior segue no foco

SÃO PAULO (Reuters) - As taxas dos contratos futuros de juros operavam em queda nesta sexta-feira, após o IPCA-15 sinalizar estabilidade da Selic no próximo encontro de política monetária do Banco Central e com os investidores avaliando positivamente as últimas escolhas da equipe do novo governo.

Imagem ilustrativa de moedas de real 15/10/2010 REUTERS/Bruno Domingos

O IPCA-15 desacelerou a alta a 0,19 por cento em novembro, de 0,58 por cento um mês antes, nível mais baixo para o mês em 15 anos e ante previsão de alta de 0,24 por cento dos economistas ouvidos em Pesquisa Reuters.

No acumulado em 12 meses, a alta foi a 4,39 por cento, abaixo do centro da meta de inflação de 4,50 por cento e também menor que a projeção de elevação de 4,44 por cento.

“Em vista aos mais recentes dados econômicos brasileiros, as projeções de uma elevação de juros em níveis próximos a 8 por cento (prevista pela Focus para o próximo ano) tendem a perder força e somente uma reação mais crível da atividade pode dar razão para a retomada do aperto monetário”, escreveu o economista da gestora Infinity, Jason Vieira.

A curva a termo precificava nesta sessão 83 por cento de chances de manutenção da taxa Selic em 6,5 por cento no encontro do BC que termina em 12 de dezembro, ante 82 por cento na sessão anterior. O restante indicava alta de 0,25 ponto percentual, mostravam dados da Reuters.

As últimas indicações para a equipe do governo Jair Bolsonaro agradaram aos investidores e mantêm as expectativas positivas sobre a nova administração.

Na véspera, os economistas Rubem Novaes e Pedro Guimarães foram indicados para comandar o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, respectivamente, no governo do presidente eleito Jair Bolsonaro.

“Nomes que agradam o mercado fortalecem o viés liberal do governo Bolsonaro. Mas sem política não tem governabilidade. Começam a surgir desgastes, já na transição, por parte dos partidos que estão se sentindo desprestigiados na formação do novo governo”, destacou o chefe da mesa de renda fixa de uma corretora nacional

O cenário externo mais adverso nessa sessão, no entanto, pode conter o desempenho da curva de juros, em novo dia de esperada menor liquidez, já que Wall Street fechará mais cedo.

Continuam as preocupações com a guerra comercial entre Estados Unidos e China, a poucos dias de um encontro entre os presidentes dos dois países no G20, na semana que vem, sem que haja certeza de que haverá um acordo entre ambos.

Também há preocupações com o crescimento global, com destaque nesta sexta-feira para dados mais fracos sobre a economia europeia. O dólar, assim, subia ante o euro e ante divisas de países emergentes.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below