December 20, 2018 / 11:11 AM / 6 months ago

DIs recuam com relatório de inflação e exterior

Imagem ilustrativas de moeda de real 15/10/2010 REUTERS/Bruno Domingos

SÃO PAULO (Reuters) - As taxas dos contratos futuros de juros recuavam nesta quinta-feira, com o trecho mais curto reagindo à manutenção pelo Banco Central da mensagem de que a conjuntura econômica prescreve política monetária estimulativa, indicando manutenção da Selic no atual patamar de 6,50 por cento por tempo indeterminado.

“O Relatório Trimestral de Inflação voltou a sinalizar que o plano de voo atual do Banco Central é manter a taxa Selic em 6,50 por cento nas próximas reuniões... (ao) reconhecer que as medidas de inflação subjacente se encontram em níveis ‘apropriados ou confortáveis’, indicando convergência da inflação às metas em 2019 e 2020”, escreveu o Banco Bradesco em relatório.

A autoridade piorou ligeiramente sua projeção para o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano a 1,3 por cento, de 1,4 por cento, mas manteve a perspectiva em 2,4 por cento para 2019, assinalando que a economia segue operando com elevado nível de ociosidade, situação que tem limitado as pressões inflacionárias no país.

Em relação à política monetária, o BC reiterou mensagem divulgada desde a última semana, quando manteve a Selic em seu mínimo histórico de 6,5 por cento, ao destacar um quadro favorável para a inflação, que joga para um futuro indeterminado eventual início de aperto nos juros após deixar de mencionar essa possibilidade em suas comunicações.

A curva a termo precificava para o primeiro encontro de política monetária do BC em 2019, em 5 e 6 de fevereiro, 80 por cento de chance de estabilidade da taxa, com o restante indicando alta de 0,25 ponto percentual. Na véspera, 86 por cento das apostas indicavam chance de manutenção.

O trecho mais longo da curva cedia em sintonia com o comportamento do dólar e o mercado externo, um dia depois de o Federal Reserve reduzir sua previsão de altas de juros em 2019 a duas, de três antes, num discurso mais “dovish”, mas não tanto quanto gostaria o mercado.

“Nas projeções do Fed estão embutidas duas subidas de juros em 2019, enquanto a curva de juros não embute nenhuma. Acreditamos que dado o vigor da economia americana em conjunto com o aperto recente das condições financeiras, o Fed deverá continuar a subir os juros, porém deverá terminar o ciclo ao redor do nível considerado neutro, de 2,75 por cento”, escreveu a Guide investimentos.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below