January 11, 2019 / 7:01 PM / 3 months ago

DIs terminam de lado apesar do bom humor após Powell e com conversas EUA-China

SÃO PAULO (Reuters) - As taxas dos contratos futuros de juros terminaram a sessão com pequenas variações, a despeito do otimismo dos investidores com o noticiário recente sobre a trajetória dos juros nos Estados Unidos, mas sem grandes novidades na negociações comerciais entre os EUA e a China e na cena doméstica.

15/10/2010. REUTERS/Bruno Domingos

“Não teve nenhuma novidade em nenhuma esfera. Mercado fica sem gatilho”, resumiu um profissional da mesa de renda fixa de uma corretora local para justificar a lateralidade dos DIs.

Na véspera, o chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, reforçou declarações “dovish” sobe a trajetória de juros no país ao declarar que o banco central dos Estados Unidos tem condições de ser paciente em relação à política monetária, já que a inflação está estável, permitindo avaliar se a economia vai desacelerar este ano conforme a preocupação de alguns nos mercados financeiros. [nL1N1ZA1RP]

O discurso reforçou o que a autoridade já havia dito na sexta-feira passada e que também foi trazido pela ata do último encontro do Federal Reserve, nesta semana. [nE6N1X3021][nL1N1Z418B]

“Em síntese, (o Fed) caminha para um aperto monetário bem mais brando que aquele observado em 2018, existindo ainda a possibilidade de não vermos aumento de juros neste ano”, disse a corretora H.Commcor em relatório.

A expectativa sobre um desfecho favorável nas discussões comerciais entre EUA e China também amparou um ambiente melhor de negócios na sessão, embora o mercado ainda queira ver o resultado prático das negociações.

Autoridades dos Estados Unidos esperam que o principal negociador comercial da China visite Washington neste mês, sinalizando que discussões de alto nível devem acontecer após as conversas desta semana entre autoridades de nível intermediário em Pequim. [nL1N1ZB072]

Do lado doméstico, agradou a notícia sobre o aval do governo brasileiro para a aliança entre Embraer e Boeing, um passo no sentido de menor intervenção estatal no mercado, já que o governo não vai exercer sua golden share.

Já a inflação bastante comportada mostrada pelo IPCA endossou a perspectiva de taxa de juros inalterada por um prazo longo. O indicador que baliza a meta de inflação subiu 0,15 por cento em dezembro e fechou 2018 em 3,75 por cento. A meta de inflação do ano passado era de 4,5 por cento, com intervalo de oscilação de 1,5 ponto percentual para mais ou menos. [nL1N1ZB0DP]

“Indica que o Banco Central deve manter uma postura mais dovish nos próximos meses. Mas há sinais de que a pressão nos preços está começando a se fortalecer e ainda parece mais provável que um ciclo de aperto comece no fim deste ano”, afirmou o economista-chefe para mercados emergentes da empresa de pesquisas macroeconômicas Capital Economics, William Jackson.

A curva a termo precificou nesta sexta-feira 90 por cento de chances de manutenção da Selic no primeiro encontro de política monetária do Banco Central deste ano, nos dias 5 e 6 de fevereiro, com o restante esperando elevação de 0,25 ponto percentual. Na véspera, as chances de manutenção estavam em 86 por cento.

Veja as taxas dos principais contratos de DIs no fechamento:

mês ticker último fechamento variação

(%) anterior (%) (p.p.)

MAR9 6,414 6,405 0,009

JAN0 6,63 6,65 -0,02

JAN1 7,44 7,46 -0,02

JAN23 8,48 8,48 0

JAN25 8,95 8,94 0,01

Edição de Raquel Stenzel

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below