March 26, 2019 / 7:30 PM / in 8 months

UE exige estudo de riscos de 5G, mas não proíbe Huawei no bloco

Bandeiras da União Europeia na sede da Comissão Europeia em Bruxelas, na Bélgica 06/03/2019 REUTERS/Yves Herman

ESTRASBURGO (Reuters) - Os países da União Europeia serão obrigados a compartilhar dados sobre riscos de segurança cibernética de 5G e produzir medidas para combatê-los até o final do ano, disse a Comissão Europeia nesta terça-feira, ignorando os avisos dos Estados Unidos para banir os dispositivos da chinesa Huawei no bloco.

O objetivo é usar as ferramentas disponíveis sob as regras de segurança existentes, além da cooperação transfronteiras, disse o órgão executivo do bloco, deixando para que os países da UE decidam se querem ou não proibir qualquer companhia por razões de segurança nacional.

Áustria, Bélgica, República Tcheca, França, Alemanha, Grécia, Hungria, Irlanda, Holanda, Lituânia e Portugal estão se preparando para licitar licenças 5G neste ano, enquanto outros seis países o farão no próximo.

A ação da União Europeia veio apesar da pressão dos EUA para boicotar a Huawei [HWT.UL], citando temores de que a China usasse o equipamento da empresa para espionagem. A Huawei rejeitou fortemente as alegações e lançou uma ação contra o governo dos EUA.

Os países da UE têm até o final de junho para avaliar os riscos de segurança cibernética relacionados ao 5G, levando a uma avaliação em todo o bloco até 1º de outubro. Com isso, os países teriam que concordar em medidas para diminuir os riscos até o final do ano.

Por Foo Yun Chee

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below