9 de Agosto de 2008 / às 14:26 / em 9 anos

"Esperto", Diego simplifica, faz série limpa e vai à final

Por Marcelo Teixeira

<p>Diego Hyp&oacute;lito compete na prova classificat&oacute;ria do solo, neste s&aacute;bado, na Olimp&iacute;ada de Pequim. Photo by Dylan Martinez</p>

PEQUIM (Reuters) - Diego Hypólito adicionou mais um capítulo à sua história na ginástica artística brasileira neste sábado, no Ginásio Nacional de Pequim, ao fazer uma série quase perfeita no solo e se tornar o primeiro ginasta brasileiro a ir a uma final olímpica.

O ginasta, bicampeão mundial do solo (2005 e 2007), registrou a maior pontuação do dia, de 15.950, e vai disputar com outros sete ginastas o ouro olímpico no dia 17 de agosto.

E o resultado veio com uma adaptação de última hora feita pelo atleta, nas palavras do técnico Renato Araújo.

Segundo ele, Diego percebeu que o nível de pontuação da competição permitiria que ele fosse à decisão se fizesse uma série de risco menor, contanto que limpa, e simplificou um movimento na parte final de sua apresentação no solo.

“Eu estava muito confiante. Eu entrei e falei: não vou errar. A primeira (passada) foi perfeita, a segunda perfeita. Aí, na terceira, eu mudei porque vi que já estava bom, que já estava garantido na final”, afirmou o ginasta.

O técnico de Diego acrescentou: “A gente sabe que o critério da arbitragem está bem justo, estão descontando qualquer coisinha, qualquer perninha aberta.”

“Daí o Diego mais uma vez foi esperto na terceira passada. Ali, para garantir, ele fez só com meia volta, não fez com pirueta e meia. Aí a nota sai com um décimo a menos, mas ele cravou”, disse o técnico, referindo-se a uma finalização perfeita do movimento.

O ginasta, único brasileiro classificado para disputar o torneio olímpico em Pequim, afirmou ter sentido alívio com a ida para a final.

“Acho que esse resultado de estar na final era meu maior objetivo. Se eu não entrasse eu ia ficar muito decepcionado, muito frustrado, porque foi um trabalho de muitos anos pra chegar à primeira final olímpica”, afirmou.

“Agora a medalha já são outros quinhentos”, acrescentou.

Para efeito de comparação, a nota obtida na preliminar deste sábado teria batido a segunda maior nota do Mundial no ano passado, que o atleta venceu. O segundo colocado ficou com 15.900.

Os planos do ginasta para o período de oito dias até a final são de dificultar a série, incluindo o salto batizado de “Hypólito”.

“Provavelmente depois de amanhã já começo a treinar a série com o Hypólito e fazendo a terceira passada mais difícil, para uma nota de 16.900. Daí, no último dia, se perceber que está arriscado, simplifico a última passada”, afirmou Diego.

Apesar do resultado, o brasileiro afirmou não se sentir o favorito para o ouro. “Não tem favorito. O favoritismo eu lido de outra forma, me dá segurança. As pessoas estão acreditando que eu possa fazer um bom trabalho. Se acreditam nisso, vamos lutar para que isso aconteça.”

Diego estreou na Olimpíada na prova de salto. Porém, ele realizou o exercício apenas uma vez, desistindo de brigar por uma final no aparelho. A idéia do atleta foi para descarregar a tensão para se concentrar no solo, prova em que é especialista.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below