5 de Agosto de 2008 / às 00:22 / em 9 anos

Thorpe duvida que Phelps quebrará recorde de Spitz

Por Paul Majendie

<p>O nadador norte-americano Michael Phelps durante treino em Cingapura. O nadador australiano Ian Thorpe, vencedor de cinco ouros ol&iacute;mpicos, n&atilde;o acredita que Phelps conseguir&aacute; bater o recorde estabelecido por Mark Sptiz em 1972 e conquistar oito medalhas de ouro. Photo by Tim Chong</p>

PEQUIM (Reuters) - O nadador australiano Ian Thorpe, vencedor de cinco ouros olímpicos, não acredita que o norte-americano Michael Phelps conseguirá bater o recorde estabelecido por Mark Sptiz em 1972 e conquistar oito medalhas de ouro.

“Eu não acho que alguém conseguirá vencer as oito, mas, se há alguém no planeta capaz de fazer isso, essa pessoa se chama Michael Phelps”, afirmou Thorpe à Reuters, na segunda-feira.

O nadador norte-americano, 23 anos, fixou para si mesmo a meta mais ambiciosa do mundo da natação -- tentar superar a atuação do conterrâneo Spitz, que levou sete ouros nas Olimpíadas de Munique.

Thorpe, 25, que se aposentou das piscinas dois anos atrás e hoje nada apenas para relaxar, disse: “Eu não acho que ele conseguirá fazer isso. Eu simplesmente acho que ele não vai conseguir. Basta ver os adversários dele.”

Phelps conquistou seis medalhas de ouro e duas de bronze em Atenas em 2004. Agora o norte-americano, detentor do recorde mundial em várias modalidades, tentará melhorar seu desempenho valendo-se das mesmas competições -- os 100 e 200 metros borboleta, os 200 e 400 metros individuais medley, os 200 metros nado livre e três revezamentos.

“A competitividade é muito alta, e isso mesmo nas modalidades em que ele é forte. Essas vão ser provas difíceis. Acho que o horário das disputas dificulta muito a missão dele. E ele ainda depende dos revezamentos.”

“Eu acho que ele terá mais problemas aqui do que teve em Atenas”, acrescentou.

Phelps disse que as previsões pessimistas de Thorpe haviam contribuído para motivá-lo.

O australiano ficou encantado ao saber disso. “Fico feliz. Eu sou amigo do Michael. Se eu vê-lo antes da competição, vou dizer-lhe que, se há alguém capaz de fazer isso, esse alguém é ele. E eu gostaria de ver isso acontecer.”

Questionado a respeito da rivalidade na piscina entre os EUA e a Austrália, duas potências da natação, Thorpe respondeu: “A rivalidade é excelente pois aumenta a pressão. Mas não passa disso.”

“Na maioria dos casos, somos bons amigos e gostamos de nos derrotar. Todos gostam de ganhar dos norte-americanos.”

O australiano está processando o jornal francês de esportes L‘Equipe devido a uma reportagem que o acusou de usar substâncias ilícitas durante sua carreira, afirmou o advogado de Thorpe na segunda-feira.

O nadador, um dos maiores de todos os tempos e também um destacado participante de campanhas antidrogas, não quis fazer comentários sobre as acusações. Mas já disse que sua reputação ficaria manchada para sempre por causa da reportagem, que chamou de “nojenta”.

Depois de passar anos sacrificando-se em treinos puxados que incluíam horas intermináveis indo de um lado para o outro da piscina, Thorpe hoje nada entre 15 e 45 minutos de cada vez, para relaxar.

Ele disse que agora gosta de nadar: “Isso é hoje uma coisa mais pessoal. Eu nado, em média, três vezes por semana. Logo, fico estressado três vezes por semana. Eu faço isso não como uma forma de treinamento, mas para colocar minha cabeça no lugar.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below