23 de Outubro de 2007 / às 02:24 / em 10 anos

Raikkonen vence e frustra Hamilton no GP de F1 da China

Por Alan Baldwin

<p>Raikkonen durante treino em Shanghai. 6 de outubro. Kimi Raikkonen transformou a disputa pelo t&iacute;tulo da F&oacute;rmula 1 em uma batalha entre tr&ecirc;s pilotos ao vencer o Grande Pr&ecirc;mio da China na madrugada deste domingo. A decis&atilde;o ficou para o GP do Brasil ainda este m&ecirc;s. Photo by David Gray</p>

XANGAI (Reuters) - Kimi Raikkonen transformou a disputa pelo título da Fórmula 1 em uma batalha entre três pilotos ao vencer o Grande Prêmio da China na madrugada deste domingo, depois que o líder do campeonato, Lewis Hamilton, saiu da prova. A decisão ficou para o GP do Brasil ainda este mês.

O bicampeão mundial Fernando Alonso, companheiro de equipe na McLaren e maior rival de Hamilton pelo título, terminou em segundo e o brasileiro Felipe Massa cruzou em terceiro com sua Ferrari.

Em uma tarde feliz para a Ferrari e decepcionante para Hamilton, que esperava se tornar o primeiro novato campeão da F1 com uma corrida de sobra, a liderança do britânico foi reduzida para quatro pontos.

Hamilton tem 107 pontos, o espanhol Alonso soma 103 e o finlandês Raikkonen acumula 100 após obter a centésima vitória da Ferrari na história dos grandes prêmios.

“Estou decepcionado pela equipe, a batalha continua no Brasil”, disse Hamilton, de 22 anos, acossado por repórteres em seu retorno aos boxes. “Ainda posso conseguir.”

O britânico começou a corrida com uma mão na taça, só precisando chegar adiante de Alonso e Raikkonen para se tornar o mais jovem campeão de todos os tempos.

Ao invés disso, no pior momento possível, ele saiu da prova, seu primeiro erro em uma temporada extraordinária na qual estabeleceu uma série de recordes.

“Obviamente estava arrasado quando saí do carro, já que não havia cometido nenhum erro o ano inteiro, e cometê-lo a caminho dos boxes não é algo que costumo fazer”, disse ele.

TRIPLA CHANCE

Raikkonen emergiu como uma ameaça renovada às esperanças da McLaren por seu primeiro título desde a conquista de Mikka Hakkinen em 1999.

A última corrida da temporada, que será realizada no Autódromo de Interlagos, em São Paulo, no dia 21 de outubro, vai ser o palco da primeira disputa de três pilotos desde 1986.

<p>Raikkonen comemora vit&oacute;ria em Xangai. Kimi Raikkonen transformou a disputa pelo t&iacute;tulo da F&oacute;rmula 1 em uma batalha entre tr&ecirc;s pilotos ao vencer o Grande Pr&ecirc;mio da China na madrugada deste domingo. A decis&atilde;o ficou para o GP do Brasil ainda este m&ecirc;s. 7 de outubro. Photo by Nir Elias</p>

“Voltamos ao campeonato, a última corrida vai ser interessante”, disse Raikkonen, que conseguiu sua quinta vitória na temporada e a 14a de sua carreira.

“Tudo pode acontecer, só temos que tentar vencer a última corrida e depois ver.”

Alonso, que depois de bater no Japão na semana passada declarou necessitar de um milagre para manter o título, permitiu-se um sorriso, mas continua pessimista a respeito de suas chances.

“Talvez não tenha sido um milagre, mas algo parecido”, disse ele sobre o azar de Hamilton.

“Ainda assim vai ser muito difícil conseguir o título”, acrescentou o espanhol. “Sei que não vai ser fácil tirar esses quatro pontos de Lewis.”

“Continuo precisando de um acontecimento drástico para vencer. Em uma corrida normal vai ser impossível.”

Hamilton esteve à frente de Raikkonen desde a largada, enquanto Alonso caiu para a quarta posição depois de tentar em vão ultrapassar Massa.

Nenhum dos líderes trocou os pneus de chuva nos primeiros pitstops, apesar destes terem se desgastado quase completamente. Hamilton lutou para controlar seu carro já antes da hora de sua segunda parada.

Raikkonen o havia ultrapassado e Alonso diminuía a distância na terceira posição quando Hamilton tentou se dirigir aos boxes, deslizou e foi parar na caixa de brita.

Os técnicos da prova tentaram em vão devolver o carro à pista, enquanto Hamilton mantinha o motor ligado na tentativa de escapar enquanto seus pneus giravam no mesmo lugar.

O alemão Sebastian Vettel terminou em quarto com sua Toro Rosso, de longe o melhor desempenho de sua equipe e que trouxe os primeiros pontos da escuderia, e o britânico Jenson Button conseguiu um surpreendente quinto lugar para a Honda.

O italiano Vitantonio Liuzzi foi sexto com sua Toro Rosso, Nick Heidfeld deu a sétima colocação à BMW Sauber e David Coulthard arrebatou o último ponto para a Red Bull.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below