16 de Junho de 2014 / às 20:34 / em 4 anos

Jogos eletrizantes e saldo de gols animam torcida no começo da Copa

SÃO PAULO (Reuters) - A primeira rodada de jogos da Copa do Mundo está quase no fim, e o sentimento universal é de perplexidade e entusiasmo.

Neymar comemora gol contra Croácia na estreia do Brasil no Mundial. REUTERS/Damir Sagolj

Os torcedores foram apresentados, nos primeiros poucos dias de torneio, a um clima de exaltação, controvérsia e, acima de tudo, de um grande saldo de gols.

Nenhuma das primeiras 12 partidas terminou em empate, cinco foram ganhas de virada e o número de gols por jogo foi de 3,4 em média. Isso acontece apenas quatro anos após o segundo pior saldo de gols da história das Copas, com 2,27 gols por partida no Mundial da África do Sul, e os torcedores estão perplexos.

“Acho que este foi o melhor começo desde, pelo menos, a Copa da Itália em 1990”, disse o torcedor inglês Ross Letham, que assistiu a Argentina e Bósnia na Fan Fest da Fifa em São Paulo. “A Copa do Mundo foi inflexível e muito tática por anos, e esta tem sido mais aberta”.

O tom foi estabelecido já na primeira partida, quando o Brasil ganhou de 3 x 1 da Croácia de virada em um jogo que teve gol contra e um controverso pênalti.

Menos de 24 horas depois, a Holanda chocou o mundo ao destruir a Espanha, atual campeã do mundo, por 5 x 1, e o Chile conseguiu uma firme vitória sobre a Austrália logo depois.

No dia seguinte, a Itália desbancou a Inglaterra e venceu uma equilibrada partida em Manaus, enquanto a Costa do Marfim superou o Japão de virada. A Costa Rica, por sua vez, impressionou todo mundo ao reverter um resultado negativo em uma vitória por 3 x 1 sobre o Uruguai.

Nem todos os resultados foram surpreendentes, mas a maneira como foram alcançados foi imprevisível, mesmo com equipes consideradas mais fracas dando perigo a seus adversários.

Além dos jogos eletrizantes, várias estrelas das seleções marcaram na Copa, como Neymar, Robin van Persie, Lionel Messi, Jorge Valdívia, Mario Balotelli, Edinson Cavani e Thomas Muller.

“Que começo positivo refrescante para esta Copa do Mundo”, disse o ex-atacante inglês Gary Linker, agora comentarista da BBC, pelo Twitter. “A antítese de quatro anos atrás. Que continue por muito tempo”.

Ainda faltam 52 jogos e as táticas podem mudar, mas, até agora, a média de gols por jogo é a maior desde a Copa da Suécia, em 1958, que teve 3,6 gols por jogo, que procedeu a média da Copa da Suíça de 1954, quando foi registrado um recorde de 5,38 gols por partida.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below