24 de Junho de 2014 / às 21:39 / 3 anos atrás

Acusação de mordida de Suárez assombra o Mundial

SÃO PAULO (Reuters) - O Uruguai superou uma Itália com 10 homens em um jogo de tudo ou nada pelo Grupo D da Copa do Mundo, mas os lances do jogo ficaram ofuscados pelo que o zagueiro italiano Giorgio Chiellini disse ter sido uma mordida do atacante Luis Suárez, passada despercebida pela equipe de arbitragem.

Chiellini reclama de ter sido mordido por Suárez durante partida contra o Uruguai em Natal. 24/06/2014. REUTERS/Carlos Barria

O atacante uruguaio, que já foi suspenso duas vezes antes por causa de mordidas, pode enfrentar uma dura penalidade da Fifa se for considerado culpado.

“Estamos esperando os relatórios oficiais da partida e vamos juntar todos os elementos necessários para avaliar a questão”, disse a Fifa em comunicado.

Com a Costa Rica se classificando como líder do Grupo D após empatar em 0 x 0 com a Inglaterra no outro jogo do grupo em Belo Horizonte, a tetracampeã Itália está fora, enquanto o Uruguai continua no torneio.

O técnico da Itália, Cesare Prandelli, pediu demissão.

“No fim da partida falei com o presidente da federação”, disse ele a jornalistas. “Eu disse a eles que vou me demitir do meu cargo. Quando há fracasso, a pessoa no comando deve assumir a responsabilidade.”

Parecia que a Itália conseguiria segurar o suado empate de que precisava para seguir na competição quando o juiz expulsou o meia Claudio Marchisio com um súbito cartão vermelho aos 14 minutos do segundo tempo, após uma disputa com Egidio Arévalo.

Aos 10 minutos do fim, Suárez se chocou com Chiellini dentro da área italiana, e os italianos ainda reclamavam do lance quando o capitão uruguaio Diego Godin marcou o gol do vitória num lance em que contou com a sorte,  no qual a bola bateu em seu ombro antes de entrar.

Um Chiellini furioso puxou a camisa insistentemente para mostrar a marca da mordida ao árbitro, e fotos do jogo tiradas pela Reuters mostram o que parecia ser marcas de mordida no ombro do italiano.

“Foi muito ridículo não ter expulsado Suárez”, disse Chiellini à Rai TV italiana. “Está claramente cortado e depois teve uma simulação óbvia, porque ele sabia muito bem que tinha feito algo que não devia.”

O técnico uruguaio Óscar Tabárez disse que não viu o incidente, mas temia por uma perseguição a Suárez, que ficou de fora da semifinal na Copa do Mundo da África do Sul em 2010 por ter defendido uma bola com a mão em cima da linha no que seria o gol da vitória de Gana no jogo anterior.

“Parece haver uma animosidade contra o jogador de futebol”, disse ele aos jornalistas.

“Ele acaba de passar por um momento difícil e tem sido penalizado. Tem pessoas esperando de tocaia, à espera de que algo aconteça”, disse.

Prandelli acredita que a expulsão definiu a partida.

“É ridículo ficar reduzido a 10 homens em um jogo como esse”, disse ele. “Não houve nenhuma falta feia ou nada que justificasse uma expulsão. Você não pode afetar um jogo dessa maneira. O juiz arruinou o jogo.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below