5 de Julho de 2014 / às 21:34 / em 3 anos

Médico da seleção critica arbitragem e vê orientação da Fifa para economizar cartões

TERESÓPOLIS Rio de Janeiro (Reuters) - O médico da seleção brasileira José Luís Runco criticou neste sábado a passividade das arbitragens na Copa do Mundo e o que apontou como uma orientação da Fifa para que os juízos evitem dar cartões nas partidas do Mundial.

Médico da seleção brasileira, José Luís Runco, dá entrevista coletiva em Teresópolis. 05/07/2014. REUTERS/Marcelo Regua

As declarações do médico da seleção vêm um dia depois de o atacante Neymar, principal estrela da seleção brasileira, levar uma joelhada nas costas na partida contra a Colômbia, que provocou uma fratura em uma vértebra lombar do jogador e o tirou do restante do Mundial.

“Temos jogos do Brasil não muito compatíveis e com entradas acima da linha da bola“, disse Runco. “As pessoas da Fifa devem estar atentas a isso”, acrescentou.

Após acompanhar os últimos momentos de Neymar na seleção, o médico brasileiro criticou o que apontou como uma orientação dada pela Fifa aos árbitros para que evitem distribuir cartões que possam “pendurar” jogadores em momentos decisivos.

O colombiano Camilo Zuñiga, autor da joelhada que tirou Neymar do Mundial, por exemplo, sequer recebeu o cartão amarelo no lance durante a vitória de 2 x 1 do Brasil sobre a Colômbia.

“Os juízes têm recomendação de evitar o máximo possível de dar cartão... O atleta colombiano, acredito que vai tomar alguma punição, acredito que vá e devem ter especialistas estudando isso na Fifa”, complementou ele.

O departamento jurídico da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) estuda duas medidas nas próximas horas junto à Fifa.

Uma delas visa tentar retirar o cartão amarelo recebido por Thiago Silva na partida com a Colômbia, que o deixa de fora da semifinal com a Alemanha na terça-feira. Membros da comissão técnica da seleção, no entanto, reconhecem que não há precedentes na Fifa para revogar a advertência, embora tenham achado a decisão do árbitro rigorosa.

Outra medida pode ser tomada também contra o árbitro espanhol Carlos Velasco, que apitou a partida entre Brasil e Colômbia e sequer deu cartão para Zuñiga no lance sobre Neymar.

“O diretor jurídico da CBF, Carlos Eugenio Lopes, está estudando tudo isso”, disse o diretor de comunicação da CBF, Rodrigo Paiva sem dar maiores detalhes.

“A Fofa tem muitas especificidades e por isso temos que esperar”, acrescentou.

NEYMAR EM BH

O médico do Brasil afirmou que a presença de Neymar em Belo Horizonte, como espectador, não pode ser descartada.

Runco afirmou que não existe nenhuma restrição médica para que o atleta vá assistir à partida com a Alemanha na terça-feira.

“Tudo dependerá da dor dele, se tiver sem dor e confortável. Nada é proibido e nada vai comprometer consolidação (do osso fraturado). Ele só tem que estar sentado, confortável na viagem de avião”, disse Runco.

A previsão é que a lesão lombar esteja totalmente consolidada em até 45 dias.

Durante o início da recuperação, Neymar terá que usar uma cinta lombar, mas está liberado para sentar e caminhar, se necessário

O jogador deixou a concentração da seleção, na Granja Comary em Teresópolis, de helicóptero e deitado em uma maca na tarde desse sábado para ficar com a família em sua casa no Guarujá, litoral de São Paulo.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below