6 de Julho de 2014 / às 22:44 / em 3 anos

Krul não vê motivos para desculpas por intimidação contra costarriquenhos

RIO DE JANEIRO (Reuters) - O goleiro holandês Tim Krul precisou se defender neste domingo, menos de 24 horas após fazer duas decisivas defesas na disputa por pênaltis contra a Costa Rica que selaram a classificação da sua seleção para a semifinal da Copa.

Goleiro holandês Tim Krul durante coletiva de imprensa no Rio de Janeiro. 6/7/2014 REUTERS/Pilar Olivares

O gigante Krul substituiu o titular Jasper Cillessen especificamente para a disputa de pênaltis em Salvador, depois de um 0 x 0 que se estendeu até o fim do tempo extra.

O atleta de 26 anos acabou justificando a incomum substituição do treinador Louis van Gaal ao defender as cobranças de Bryan Ruiz e Michael Umaña e dar à Holanda a vitória por 4 x 3 nos pênaltis e, consequentemente, a vaga na semifinal contra a Argentina.

No entanto, o atleta foi duramente criticado nas redes sociais por usar táticas intimidadoras contra os batedores costarriquenhos, encarando-os e gritando para eles antes da cobrança dos pênaltis.

“Não acho que fiz algo de errado”, disse ele em entrevista coletiva na concentração holandesa no Rio de Janeiro neste domingo.

“Eu não gritei nada indecente para eles. Só disse que sabia onde eles iriam bater. Eu tentei claramente entrar na cabeça deles e isso funcionou ontem.”

“É uma forma de desestabilizá-los. Estavam sob enorme pressão, e eu também estava, então usei o que tinha à mão para fazer isso acontecer. Tive sorte suficiente para que desse certo.”

Krul, que defendeu apenas dois dos 20 pênaltis cobrados contra sua meta enquanto goleiro do Newcastle, da Inglaterra, afirmou que estas táticas mentais começaram mesmo antes dele se posicionar para tentar agarrar a primeira penalidade.

“Quando comecei a aquecer, notei que todo o banco de reservas deles estava confuso”, disse.

O treinador holandês Louis van Gaal, renomado estrategista, já estava ruminando a possibilidade de executar o plano há algum tempo. Mas ele manteve segredo diante dos jogadores, especialmente diante de Cillessen, e só revelou a intenção a Krul no ônibus a caminho do estádio.

“O treinador e o preparador de goleiros haviam me dito antes do jogo que se restasse uma substituição haveria a possibilidade de me utilizarem para a disputa por pênaltis”, revelou Krul.

“Mas espero que não precisemos dos pênaltis contra a Argentina e façamos o serviço dentro dos 90 minutos.”

por Julian Linden

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below