17 de Setembro de 2014 / às 13:12 / 3 anos atrás

Vaias a Casillas evidenciam o racha no Real Madrid

MADRI (Reuters) - Quando Iker Casillas ergueu o troféu Henri Delaunay, em Kiev, conquistado pela Espanha ao vencer sua segunda Eurocopa consecutiva em 2012, era difícil imaginar que em dois anos o goleiro seria vaiado por seus próprios torcedores no estádio do Real Madrid.

Goleiro do Real Madrid Iker Casillas durante partida contra o Atlético de Madri no estádio Santiago Bernabéu. 13/09/2014 REUTERS/Juan Medina

Nascido em Madri e formado nas academias do Real, o goleiro e capitão Casillas tem sido perseguido por alguns torcedores da equipe após um início de campanha frustrante no Campeonato Espanhol.

Primeiro, descarregaram sua raiva durante a derrota por 2 x 1 para o rival Atlético de Madri quando Casillas foi batido por uma cabeçada de Tiago, e as vaias continuaram durante a vitória de 5 x 1 sobre o Basel, na primeira partida do Grupo B da Liga dos Campeões.

Mas também há muitos torcedores da equipe branca que apoiam claramente “São Iker” e respondem às vaias ao ídolo imediatamente com uma calorosa saudação ao goleiro.

Casillas também foi bastante aplaudido quando evitou um gol com uma das defesas milagrosas que o fizeram ganhar o apelido de santo, na sexta vitória consecutiva do Real Madrid na principal competição de clubes da Europa, na terça-feira.

No entanto, o goleiro segue sob pressão do novo reforço do Real Madrid, Keylor Navas, que foi uma das estrelas da Costa Rica na Copa do Mundo do Brasil - torneio em que Casillas teve atuação desastrosa.

É difícil saber porque a fúria da torcida com o início de campanha fraco do Real na liga espanhola se concentrou em Casillas, e a mídia local está cheia de teorias conspiratórias.

Mas, assim como existe divisão entre os torcedores, há uma série de informações que apontam para um racha no vestiário, e os companheiros de Casillas e seu técnico, Carlo Ancelotti, não têm sido pró-ativos na defesa de seu capitão.

É difícil não pensar que há problemas internos no clube mais rico do mundo por receita e que o controle com mão-de-ferro exercido pelo presidente Florentino Pérez sobre a tomada de decisões não estaria sendo contraproducente

“Não vou entrar em discussões. Seria estupidez”, disse o zagueiro Sergio Ramos a jornalistas quanto perguntado sobre as vaias depois da partida contra o Basel.

“Acima de tudo está a instituição. Nós vamos nos concentrar no nosso trabalho. Iker convive com isso. Ele sabe que não pode agradar a todos. Não é um robô e é normal que isso o afete.”

Pérez ainda não fez qualquer declaração pública sobre a situação, e a imprensa espanhola afirma que sua declaração com Casillas é, no mínimo, instável.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below