27 de Fevereiro de 2015 / às 22:49 / em 3 anos

CBF muda comando da base, mas mantém Gallo como técnico das seleções olímpica e sub-20

RIO DE JANEIRO (Reuters) - A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu promover uma reformulação nas categorias de base, a começar pela saída do coordenador Alexandre Gallo, que vai comandar apenas a seleção sub-20 e o time olímpico, segundo uma fonte da entidade.

Técnico da seleção sub-20, Alexandre Gallo, gesticula durante partida contra o Uruguai pelo sul-americano da categoria na cidade chilena de Maldonado. 17/01/2015 REUTERS/Andres Stapff

Gallo foi afastado da função de coordenador da base depois que a seleção sub-20 ficou com a quarta colocação no campeonato sul-americano da categoria, obtendo a última vaga para o Mundial.

Ao menos 10 nomes de diversas funções das categorias de base, como técnicos, coordenadores e auxiliares estão sendo trocados. A partir de agora, Erasmo Daminiani, que comandava a base do Palmeiras, será o coordenador das categorias inferiores do Brasil.

“Agora meritocracia total; todo mundo chega com currículo de base. Todo mundo é especialista no assunto, gente que há anos trabalha nisso aí”, disse à Reuters nesta sexta-feira uma alta fonte da CBF. “O Gallo fica a partir de agora como técnico da sub-20 e da olímpica”, completou.

Antes da decisão, a CBF se reuniu com muitos profissionais da área e dos grandes clubes para ouvir opiniões. “Não adianta ter gente na base do Brasil que é gente fina, legal, mas nunca trabalhou com a formação de jogadores e nas categorias de base. Esse perfil não interessa mais. Queremos especialistas no assunto. Não tem mais amizade na CBF, tem meritocracia e gente do ramo”, explicou a fonte.

“O Damiani é um cara muito bom, com larga experiência e conhece o que faz... A ordem é falar pouco e trabalhar muito para dar certo.”

A ideia da CBF é aproximar cada vez mais a seleção principal das categorias de base e aumentar a integração entre os jogadores jovens e o time principal do Brasil.

“Estamos fazendo um reformulação para implantar uma integração total de cima até a sub-20, com um filosofia parecida”, declarou a fonte, acrescentando que nomes como Axel (auxiliar da sub-17) e do ex-jogador Cláudio Caçapa (da sub-15) estão entre os demitidos.

A permanência de Gallo na seleção sub-20 e na equipe olímpica que tentará o inédito ouro nos Jogos do Rio ano que vem estaria condicionada a um bom desempenho no Mundial sub-20 neste ano, na Nova Zelândia.

Caso o Brasil decepcione, a CBF pode buscar uma alternativa para comandar a seleção na Olimpíada, e a escolha do técnico da seleção principal, Dunga, não pode ser descartada.

A saída de Gallo da coordenação da base da CBF já tinha sido sinalizada pelo presidente da CBF, José Maria Marin, que criticou o desempenho da sub-20 no sul-americano da categoria publicamente ao afirmar que o Brasil exagerou na individualidade e mostrou pouco trabalho coletivo.

“Foi um desempenho ruim, para não dizer péssimo”, disse Marin à época.

Reportagem de Rodrigo Viga Gaier

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below