27 de Junho de 2015 / às 17:48 / 2 anos atrás

Tevez se redime e Argentina busca recomeço na Copa América

SANTIAGO (Reuters) - O momento do atacante Carlos Tevez, tirando um enorme peso de suas costas ao marcar o pênalti decisivo na vitória da Argentina sobre a Colômbia, pode significar um novo recomeço para o time de Gerardo Martino na Copa América.

A Argentina dominou a posse de bola e teve os principais lances, mas não conseguiu balançar as redes do adversário no empate em 0 x 0 pelas quartas de final contra a Colômbia, muito disso graças a uma série de grandes defesas de David Ospina. 

Tevez então se apresentou para bater o pênalti decisivo e superar Ospina da marca da cal para selar a vitória por 5 x 4 na disputa de penalidades e, de quebra, se redimir da cobrança perdida que tirou a Argentina da mesma fase da Copa América em 2011.

“Eu não consigo imaginar o que seria conversar com vocês agora se nós tivéssemos perdido. Teria sido muito injusto”, disse Gerardo Martino em coletiva de imprensa.

“Eu agora espero que nós possamos jogar do mesmo jeito (nas próximas partidas), mas marcando mais gols”, disse.

Como o time de Alejandro Sabella na Copa do Mundo de 2014, a atual seleção argentina tem tido dificuldades em campo devido a carência nas finalizações, embora conte com Lionel Messi e Sergio Aguero no ataque.

O primeiro objetivo em 2014 foi vencer o obstáculo das quartas de final em Copas do Mundo pela primeira vez desde 1990, e isso foi cumprido, com a classificação para as semis. Agora, no Chile, os “albicelestes” já conseguiram o mesmo.

Martino espera que a classificação desta sexta-feira tenha surtido um efeito libertador nos jogadores. Nas semis, a Argentina pega o vencedor do duelo entre Paraguai, com quem empatou em 2 x 2 no jogo de estreia da fase de grupos, e Brasil, carrasco nas finais de 2004 e 2007 de Copa America. 

“Nós controlamos o jogo os 90 minutos. Eles tiveram uma cabeçada que foi a chance mais perigosa e o goleiro deles, Ospina, foi provavelmente o principal jogador da partida. Foi injusto termos de disputar os pênaltis, mas é assim que funciona”, disse Martino.

A Colômbia também chegou ao Chile como favorita, mas volta para casa tendo marcando apenas um gol em quatro partidas --assinalado por um zagueiro.

O combativo volante argentino Javier Mascherano não teve dúvidas de que encarou um time de qualidade, dizendo que a Colômbia oferece um bom ponto de referência que mostra em que pé está a Argentina.

“A qualidade do adversário está aí (para todos verem)...esta mesma Colômbia há 12 meses jogou uma partida de quartas de final de Copa do Mundo”, disse.

Por Gideon Long

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below