August 10, 2017 / 2:20 PM / a year ago

COI diz estar atento a crise norte-coreana antes de Jogos de Inverno de 2018 na Coreia do Sul

BERLIM (Reuters) - O Comitê Olímpico Internacional (COI) afirmou nesta quinta-feira que está “monitorando atentamente” as tensões crescentes na península coreana a menos de 200 dias da Olimpíada de Inverno de 2018 em Pyeongchang, na Coreia do Sul.

Tela com anéis olímpicos, em Cingapura 05/07/2005 REUTERS/Bazuki Muhammad

Os Jogos Olímpico voltarão ao país no ano que vem pela primeira vez desde a Olimpíada de Verão de 1988 em Seul, mas o que seria a primeira Olimpíada de inverno na Ásia fora do Japão e a primeira de três Olimpíadas consecutivas na Ásia corre o risco de ser ofuscada pela crise crescente envolvendo a Coreia do Norte.

O progresso aparentemente rápido da reclusa Coreia do Norte no desenvolvimento de armas e mísseis nucleares capazes de atingir o território continental dos Estados Unidos levou a uma guerra de palavras entre os dois países nesta semana, preocupando potências regionais.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que sua nação responderá com “fogo e fúria” se Pyongyang a ameaçar. A Coreia do Norte ironizou os alertas e divulgou planos detalhados para um ataque com mísseis perto de Guam, território norte-americano no oceano Pacífico.

Especialistas sul-coreanos disseram que os planos para um ataque a Guam elevaram os riscos consideravelmente, já que Washington provavelmente considerará qualquer míssil apontado para seu território como uma provocação, ainda que lançado como teste.

“Estamos monitorando a situação na península coreana e na região muito atentamente”, disse um porta-voz do COI. “O COI está se mantendo informado sobre os desdobramentos. Continuamos trabalhando com o comitê organizador nos preparativos destes Jogos, que continuam avançando”.

A Coreia do Sul fracassou na tentativa de conquistar a sede da Olimpíada de Inverno em 2010 e 2014, mas em 2011 obteve o aval para sediar o evento de 2018, que está programado para 9 a 25 de fevereiro.

No mês passado, o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, disse que seu vizinho do norte terá até o último minuto para decidir se participará ou não dos Jogos. Ele quer que a Coreia do Norte se envolva, embora nenhum de seus atletas tenha atingido os índices de qualificação.

Sua proposta para uma delegação unificada já foi recusada por uma autoridade esportiva norte-coreana, que a considerou impraticável no atual clima político.

Por Karolos Grohmann

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below