June 27, 2018 / 7:10 PM / 3 months ago

Técnico se diz comovido com vitória e Suécia supera problemas com Alemanha

ECATERIMBURGO, Rússia (Reuters) - O técnico da Suécia, Janne Andersson, disse estar comovido pelo esforço e lealdade de seus jogadores, conforme se recuperaram da decepção de uma derrota cruel para a Alemanha para vencerem o México por 3 x 0 nesta quarta-feira, conquistando a liderança do Grupo F da Copa do Mundo.

Técnico sueco 27/6/2018 REUTERS/Darren Staples

Poucos previram que a Suécia poderia liderar o grupo quando Toni Kroos marcou nos acréscimos em Sochi, e Andersson ficou irritado depois de membros da equipe técnica alemã aparentemente provocarem os suecos após a derrota.

Mas o técnico, de 55 anos, e sua equipe avançaram às oitavas de final, onde irão enfrentar Brasil, Suíça ou Sérvia, enquanto os alemães voltam para casa após outra performance fraca, que resultou em uma derrota por 2 x 0 para a Coreia do Sul.

Outra sombra foi colocada sobre as preparações da Suécia quando o ponta Jimmy Durmaz, que marcou a falta que resultou no gol de Kroos, se tornou alvo de vários abusos raciais e ameaças nas redes sociais.

“Nós lidamos com as coisas que aconteceram –estou incrivelmente orgulhoso, quase comovido, em pensar em como nós jogamos na partida. Eles foram muito disciplinados, muito leais em tudo que fizeram”, disse Andersson a repórteres.

Ludwig Augustinsson colocou a Suécia na frente aos cinco minutos do segundo tempo, antes de Marcus Berg receber uma falta dentro da área e o capitão Andreas Granqvist, que marcou o gol da vitória sobre a Coreia do Sul, fazer o gol de pênalti.

“Você nunca pode estar 100 por cento certo de algo nos esportes, mas eu sei que ele é muito bom em cobrar pênaltis, então acho que havia uma alta probabilidade dele marcar”, disse Andersson.

Granqvist marcou devidamente para a Suécia e um gol contra aumentou o placar para 3 x 0 antes de chegar a notícia do colapso da Alemanha, mas apesar do desentendimento anterior com membros da equipe técnica alemã, Andersson disse não sentir prazer na eliminação alemã.

“Nem em um milhão de anos. Não funciona assim”, disse categoricamente. “Você joga uma partida, você aperta as mãos depois e você deseja o melhor para todos para o próximo jogo.”

Andersson e os suecos voltam à base na costa do Mar Negro, e irão descobrir quem irão enfrentar nas oitavas de final mais tarde nesta quarta-feira.

A jornada de volta a Gelendzhik promete ser muito mais prazerosa que a última, feita após derrota para Alemanha.

“Primeiros do grupo? Não muitos teriam pensado nisso”, disse o capitão Granqvist.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below