July 4, 2018 / 9:33 PM / 3 months ago

Melhor ataque enfrenta melhor defesa no confronto entre Brasil e Bélgica

SOCHI, Rússia (Reuters) - A batalha nas quartas de final entre Brasil e Bélgica será um encontro clássico entre a melhor defesa da Copa do Mundo e o ataque que mais marcou gols no torneio.

Jogadores de defesa do Brasil se cumprimentam após jogo com México 2/7/2018 REUTERS/David Gray

O Brasil levou somente um gol neste Mundial, formando a retaguarda mais fechada junto ao Uruguai, e permitiu somente cinco chutes ao gol em quatro jogos, o menor número entre todos os times.     

    A Bélgica, enquanto isso, é a artilheira da competição, com 12 gols em seus quatro jogos.

    Oito desses gols saíram dos confrontos com Tunísia e Panamá, e vitórias acirradas contra Inglaterra e Japão levantaram algumas dúvidas sobre a capacidade da Bélgica de se impor contra equipes melhores.

    O elogiado meio-campo sofreu na disputa das oitavas de final contra uma equipe japonesa que não deu a ele tempo de bola e somente quando Marouane Fellaini entrou no segundo tempo é que o time belga teve mais força física e tomou controle da partida.

Os belgas podem querer adotar uma abordagem mais robusta desde o começo do jogo contra o Brasil para dar tempo dos maestros Eden Hazard e Kevin De Bruyne fazerem passes decisivos.

    “Nós iremos precisar de força”, disse o técnico da Bélgica, Roberto Martínez, no que pode ser uma dica sobre suas intenções. “Nós precisamos defender da melhor forma e então causar dor a eles quando tivermos a bola.”

    O Brasil irá provavelmente começar o jogo com Fernandinho no lugar do suspenso Casemiro, e a seleção brasileira pode sentir falta da presença física do volante do Real Madrid.

    Do outro lado, os três zagueiros da Bélgica são figuras imponentes, mas dois deles, Vincent Kompany e Jan Vertonghen, já têm mais de 30 anos.

Com Kompany ainda se adaptando após seu mais recente período fora dos gramados por lesão, os rápidos ataques brasileiros podem se mostrar produtivos contra uma linha defensiva belga veterana.

    Nos flancos, Willian e Philippe Coutinho podem forçar as defesas, e disparar chutes e cruzamentos, enquanto Neymar e Gabriel Jesus também podem abrir a defesa a partir de posições mais centrais.

A Bélgica irá precisar que seus laterais mais avançados operem a todo vapor para voltar para ajudar na marcação.

    Marcelo está em forma novamente para o Brasil e pode voltar ao time no lugar de Filipe Luís na lateral-esquerda, enquanto o meia-atacante Douglas Costa está de volta após lesão e estará no banco.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below