July 7, 2018 / 7:05 PM / 5 months ago

Desempenho da Inglaterra e defesas de Pickford fizeram a diferença, diz técnico da Suécia

SAMARA, Rússia (Reuters) - A Suécia cometeu poucos erros, mas enfrentou um time melhor na partida deste sábado, e um goleiro magnífico em Jordan Pickford, da Inglaterra, e por isso não chegou às semifinais da Copa do Mundo pela primeira vez desde 1994, disse o técnico Janne Andersson. 

Técnico da Suécia, Janne Andersson, durante partida contra a Inglaterra na Copa do Mundo 07/07/2018 REUTERS/Michael Dalder

A Inglaterra marcou uma vez em cada tempo para vencer os suecos, por 2 x 0, em Samara, e chegar às semifinais da Copa do Mundo pela primeira vez desde 1990. A próxima adversária será a Croácia ou a Rússia, que jogam ainda neste sábado. 

Harry Maguire abriu o placar, aos 30 minutos, na Arena Samara, e Dele Alli dobrou a vantagem depois do intervalo. Os suecos tiveram dificuldades para lidar com os ataques ingleses. 

“Eu não acho que nada tenha dado errado. Enfrentamos um bom adversário e não estivemos no nosso melhor nível. As margens são pequenas”, disse Andersson. 

“Estivemos no controle nos primeiros 30 minutos até o escanteio em que eles marcaram. Criamos chances no começo do segundo tempo e, se tivéssemos marcado, poderíamos ter voltado ao jogo.” 

Antes do segundo gol inglês, a Suécia perdeu uma chance de ouro de empatar, logo depois do intervalo, mas Pickford, que foi eleito o melhor em campo, fez uma excelente defesa, espalmando a cabeçada à queima-roupa de Marcus Berg. 

Ele impediu as tentativas dos suecos várias outras vezes no segundo tempo. 

“O goleiro (inglês) fez grandes defesas novamente. Você tem que respeitar o fato que você enfrentou um bom goleiro”, disse Andersson. 

“A Inglaterra com certeza é boa o suficiente para ganhar a Copa do Mundo”, disse. “Eles são fortes e bem organizados. Parabéns aos dois times e ao treinador. Eles têm um bom time, que não deu muitos espaços.” 

Andersson também elogiou os seus próprios jogadores, que terminaram à frente da Holanda no grupo das Eliminatórias Europeias e venceram a Itália na repescagem para conseguir uma vaga na Rússia. 

Em seguida, lideraram o grupo, que tinha Alemanha, México e Coreia do Sul, antes de vencerem a Suíça nas oitavas de final. 

“Chegamos às quartas de final e foi lindo chegar tão longe. Enfrentamos adversários difíceis em cada uma das partidas, mas não fomos bons o bastante hoje”, disse o técnico de 55 anos. 

“Eu reuni os jogadores no gramado e disse para eles que tivemos um ótimo torneio. Vamos todos ficar tristes, mas, quando sentarmos para analisar, no âmbito geral, ficaremos muitos satisfeitos, mas, no momento, é difícil.”

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below