for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Vereadores de Verona querem processar Balotelli por difamação

Atacante italiano Mario Balotelli 29/09/2019 REUTERS/Ciro De Luca

MILÃO (Reuters) - Um grupo de vereadores da cidade italiana de Verona pediu ao governo local que processe o jogador Mario Balotelli depois que o atacante se queixou de insultos racistas da torcida durante uma partida no estádio Bentegodi, no domingo.

Balotelli, que atuava com o time visitante Brescia, chutou a bola em direção ao público e ameaçou sair de campo no início do segundo tempo, dizendo que ouviu alguns torcedores fazendo imitações de macaco. O árbitro interrompeu a partida durante cinco minutos enquanto anúncios eram feitos ao público.

O jogador de 29 anos, cujos pais são ganenses que o tiveram na Sicília e que foi entregue para adoção aos 3 anos de idade, vem sendo alvo de ofensas raciais ao longo de sua carreira na Itália. Ele recebeu apoio do técnico do Napoli, Carlo Ancelotti, e da rival Roma, entre outras, por sua atitude no domingo.

Mas o Verona e o prefeito da cidade, Federico Sboarina, que disse ter assistido ao jogo, negaram que os insultos racistas ocorreram.

Nesta terça-feira, o jornal Gazzetta dello Sport publicou uma moção enviada por quatro vereadores de Verona propondo que “o prefeito e os escritórios legais da municipalidade deveriam adotar uma ação legal contra o jogador e todos aqueles que atacam o Verona difamando-o injustamente”.

A moção acrescentou: “Não é mais justo que o Verona seja acusado quando, como neste caso, nada aconteceu”.

O tribunal disciplinar do Campeonato Italiano deve anunciar sua decisão sobre o caso --o mais recente de uma série de supostos incidentes de racismo no futebol italiano-- ainda nesta terça-feira.

Por Brian Homewood

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up