for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Gastos com agentes em transferências internacionais atinge novo recorde

Logo da Fifa na sede da entidade em Zurique 10/01/2017 REUTERS/Arnd Wiegmann

ZURIQUE (Reuters) - Os gastos globais com comissões de agentes envolvidos em transferências internacionais de jogadores atingiu o recorde de 653,9 milhões de dólares neste ano, informou a Fifa em um relatório publicado nesta quarta-feira.

A Fifa disse que 80% deste montante --que já ficou 19,3% acima do total de 2018-- foi pago por clubes da Itália, Inglaterra, Alemanha, Portugal, Espanha e França juntos.

A entidade que governa o futebol mundial acrescentou que os times portugueses se destacaram por terem gasto quase metade em comissões --78,1 milhões de dólares-- em relação às próprias transferências --181,9 milhões de dólares.

A Fifa está planejando impor um teto às taxas dos agentes, parte de uma reforma abrangente no sistema de transferências.

Em outubro, o Conselho da Fifa aprovou uma proposta para limitar as quantias a 10% das taxas de transferências de agentes de clubes que liberarem jogadores, 3% da remuneração dos jogadores a agentes de jogadores e 3% da remuneração dos jogadores a agentes de clubes que comprarem jogadores.

O relatório da Fifa disse que ao menos um agente se envolveu em 3.557 das mais de 17 mil transferências internacionais de jogadores profissionais deste ano.

Segundo o documento, em mais de 90% dos casos agentes receberam comissões de menos de um milhão de dólares, e cifras variando entre 10 mil e 100 mil dólares foram “a situação mais comum”.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up