for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Super Bowl terá batalha de Trump, Bloomberg e grandes marcas por atenção

T.J. Watt comemora touchdow no jogo das estrelas da NFL 26/01/2020 Steve Mitchell-USA TODAY Sports

(Reuters) - Quando o San Francisco 49ers e o Kansas City Chiefs se enfrentarem no Super Bowl da Liga Nacional de Futebol Americano em Miami, no domingo, candidatos bilionários à Presidência dos Estados Unidos lutarão por atenção, enquanto grandes marcas com mensagens positivas esperam levar harmonia à atmosfera política dividida.

O presidente Donald Trump e o pré-candidato democrata à Presidência Michael Bloomberg estão gastando 10 milhões de dólares cada para atrair diretamente os eleitores que assistem ao grande confronto, um evento sem precedentes na história do Super Bowl. A presença deles ameaça sugar o oxigênio do maior evento televisivo do ano nos EUA, quando quase 100 milhões de espectadores norte-americanos estão sintonizados.

Este ano, as marcas estão gastando um recorde de até 5,6 milhões de dólares em um comercial de 30 segundos, disseram especialistas em marketing.

Para proteger as marcas da briga política --a campanha da Bloomberg disse que planeja exibir um anúncio de ataque durante o Super Bowl-- a Fox Corp planeja isolar os dois anúncios e cercá-los de anúncios de seus próprios programas, de acordo com uma pessoa familiarizada com o assunto.

Por Sheila Dang

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up