for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Proliferação de coronavírus da China pode prejudicar Tóquio-2020

Presidente-executivo da Tóquio-2020, Toshiro Muto, durante reunião do Comitê Olímpico Internacional em Lima 13/09/2017 REUTERS/Guadalupe Pardo

TÓQUIO (Reuters) - A proliferação de um novo coronavírus pode jogar “água fria no ímpeto crescente dos Jogos de 2020”, disse o presidente-executivo do Comitê Organizador dos Jogos de Tóquio, Toshiro Muto, nesta quarta-feira.

“Estou seriamente preocupado... espero que isso seja resolvido o mais cedo possível”, disse Muto durante uma reunião com os organizadores dos Jogos Paralímpicos em Tóquio.

Autoridades japonesas, incluindo o primeiro-ministro, Shinzo Abe, disseram que o governo trabalhará duro para minimizar todo e qualquer impacto do surto de vírus na Olimpíada, que começa em 24 de julho.

O saldo de mortes do vírus semelhante à gripe, que teve origem na cidade central chinesa de Wuhan, já passou de 490. Duas empresas aéreas dos Estados Unidos suspenderam voos para Hong Kong depois da primeira morte no local, e 10 casos foram confirmados em um navio de cruzeiro japonês em quarentena.

Vacinas contra o vírus provavelmente não estarão prontas até o início da Olimpíada de Verão de Tóquio, disse anteriormente à Reuters um professor que analisou os riscos de segurança antes dos Jogos, acrescentando que espera haver tempo suficiente para preparar defesas.

Saburo Kawabuchi, chefe da vila olímpica dos Jogos de 2020, disse torcer para que o evento prossiga tranquilamente e livre do vírus.

Separadamente, a Agência de Esportes do Japão começou a examinar o impacto do vírus nos preparativos dos atletas para os Jogos Olímpicos e Paralímpicos, noticiou a emissora NHK.

Vários eventos classificatórios, como os de badminton e boxe, foram adiados por causa da epidemia.

Por Ju-min Park; reportagem adicional de Junko Fujita

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up