for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

F1 tentará remarcar GP da China se ele for adiado, diz Brawn

Ross Brawn durante Grande Prêmio da China, em Xangai, em 2017 06/04/2017 REUTERS/Aly Song

LONDRES (Reuters) - A Fórmula 1 tentará remarcar o Grande Prêmio da China se ele tiver que ser adiado devido ao surto de coronavírus, de acordo com o diretor esportivo da categoria, Ross Brawn.

A corrida de grande destaque em Xangai, que deveria ser transmitida a muitos milhões de telespectadores de todo o mundo, está agendada para 19 de abril.

“A China é um mercado vibrante e crescente, então gostaríamos de ter uma corrida na China”, disse Brawn aos repórteres. “Tentaremos encontrar uma janela para quando a corrida poderia acontecer perto do final do ano.”

O britânico disse que as autoridades chinesas teriam que tomar a decisão final de cancelar a prova e que o tempo está acabando.

“Existem dois prazos logísticos”, disse ele, segundo citação do site motorsport.com. “Um é quando todo o transporte marítimo parte, que é nesta semana ou na semana que vem. Então coisas como combustível e tal vão de navio. Mas não é desastroso se isso mudar e tiver que ser levado de volta.”

“Depois temos que levar a pessoas fisicamente para lá. É um grande desafio as pessoas irem para lá para prepararem a corrida. É um estágio crítico. E isso acontecerá em duas ou três semanas”.

“Acho que este é o momento em que você realmente tem que dizer qual é a situação.”

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up