for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Oficiais admitem erro em jogo do Chelsea, e VAR volta a ser questionado

LONDRES (Reuters) - O sistema de assistente de vídeo (VAR) do Campeonato Inglês voltou aos holofotes neste sábado, quando oficiais teriam admitido que erraram ao não recomendar um cartão vermelho para o meia Giovani Lo Celso, do Tottenham, em um jogo contra o Chelsea, em Stamford Bridge.

O argentino pareceu pisar a canela do capitão do Chelsea, Cesar Azpilicueta, na derrota do Tottenham por 2 a 1, em um jogo de confronto direto pelo quarto lugar. Mas, depois de uma checagem por possível conduta violenta pelos árbitros de vídeo, Lo Celso escapou sem ser advertido.

O árbitro Michael Oliver, que não mostrou nem cartão amarelo pela entrada, não olhou o monitor que fica ao lado do gramado.

O treinador do Chelsea, Frank Lampard, que criticou a decisão do VAR na segunda-feira de não expulsar o zagueiro inglês do Manchester United, Harry Maguire, por colocar o pé na virilha do atacante do Chelsea, Michy Batshuayi, balançou a cabeça, incrédulo.

À medida que o jogo continuou, um apresentador de televisão afirmou que os oficiais nos escritórios do VAR, em Stockley Park, a alguns quilômetros de Stamford Bridge, que fica no oeste de Londres, admitiram o erro.

“Estivemos conversando com Stockley Park, que admitiu que tomaram a decisão errada e que Lo Celso deveria ter sido expulso”, disse Jake Humphrey, que trabalha na emissora BT Sport, no Twitter.

Depois do jogo, Lampard afirmou que o incidente representava “mais um grande ponto de interrogação” em relação ao VAR, introduzido ao Campeonato Inglês nesta temporada.

“Estava esperando que o cartão vermelho fosse mostrado”, disse. “Não é bom o suficiente. Dizer depois que cometeu um erro não é bom o suficiente. Eles tiveram alguns minutos para tentar acertar”.

“O mundo inteiro viu. Eu odeio ficar aqui pedindo um cartão vermelho, mas aquilo poderia quebrar uma perna. Não estou dizendo nada sobre o árbitro em campo, porque é difícil lá, mas não é bom o suficiente”.

Azpilicueta também ficou chocado.

“Não sou um jogador que gosta de ficar no chão porque sou durão, mas não foi minha culpa porque foi um claro pisão em minha canela, eu senti na hora”, disse.“Obviamente, todo mundo comete erros, mas quando você tem várias repetições, pode ser mais fácil de corrigir”.

Os clubes do Campeonato Inglês considerarão mudanças à maneira como as revisões do VAR são utilizadas a partir da próxima temporada, inclusive o escasso uso de monitores ao lado do gramado pelos árbitros de campo para revisar os incidentes por conta própria, afirmou o executivo-chefe da liga, Richard Masters, no começo deste mês.

A maior parte da controvérsia em relação ao sistema se deve a decisões de impedimentos muito próximos, frequentemente envolvendo gols que são anulados quando o atacante está poucos milímetros à frente do defensor.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up