for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Sete equipes de F1 contestam acordo secreto de motor entre FIA e Ferrari

LONDRES (Reuters) - Sete das 10 equipes de Fórmula 1 somaram forças em um comunicado coletivo nesta quarta-feira ameaçando uma ação legal contra um acordo secreto entre a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) e a Ferrari a respeito do motor usado pela escuderia italiana em 2019.

Charles Leclerc da Ferrari participa de testes em Barcelona 28/02/2020 REUTERS/Albert Gea

As equipes --nenhuma das quais corre com motores da Ferrari-- disseram ter ficado “surpresas e chocadas” com um comunicado emitido pela FIA no final do último dia dos testes da pré-temporada na Espanha na semana passada.

O comunicado da FIA deu pouca informação além de dizer que o organismo administrativo e a Ferrari chegaram a um acordo depois de investigações técnicas a respeito do motor da equipe.

O texto disse que “os detalhes do acordo ficarão entre as partes”.

As sete equipes, incluindo a atual campeã Mercedes, deixaram claro que a situação é inaceitável. A modalidade se prepara para a primeira corrida da temporada na Austrália no dia 15 de março.

“Uma agência regulatória esportiva internacional tem a responsabilidade de agir com os padrões mais altos de governança, integridade e transparência”, disseram.

“Depois de meses de investigações que foram realizadas pela FIA seguindo somente questionamentos feitas pelas outras equipes, objetamos fortemente que a FIA firme um acordo confidencial com a Ferrari para encerrar o assunto.”

As equipes acrescentaram que compartilham o compromisso “de buscar o esclarecimento pleno e devido desta questão, para fazer com que nosso esporte trate todos os competidores justa e igualmente.”

“Além disso, nós nos reservamos o direito de buscar uma retificação legal dentro do devido processo da FIA e diante dos tribunais competentes.”

O motor da Ferrari foi alvo de muita especulação no ano passado, com rivais suspeitando que a equipe estava contornando os sensores de fluxo de combustível para obter desempenho. A Ferrari negou ter feito algo ilegal.

A equipe começou a temporada de 2019 como favorita após tempos impressionantes nos testes e uma clara vantagem de velocidade em linha reta.

O desempenho pareceu diminuir, no entanto, depois que a FIA emitiu várias diretrizes técnicas sobre sensores de fluxo de combustível no final do ano. Eles também foram mais lentos do que a Mercedes nos tempos dos testes para 2020.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up