for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Japão diz que Tóquio 2020 está de pé; Abe e Trump debatem coronavírus

REUTERS/Athit Perawongmetha

TÓQUIO (Reuters) - O Japão disse nesta sexta-feira que está determinado a realizar uma Olimpíada de Tóquio “segura e protegida” e no prazo depois que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, sugeriu um adiamento de um ano por causa da pandemia de coronavírus.

Mais tarde, parlamentares concederam poderes emergenciais para o primeiro-ministro, Shinzo Abe, fechar escolas e impedir grandes aglomerações. O ministro da Economia também prometeu “medidas ousadas e inéditas” para amenizar os impactos econômicos. O pânico do mercado financeiro provocou uma queda de 6,1% no índice de referência de ações Nikkei.

Abe e Trump conversaram por telefone durante cerca de 50 minutos na manhã desta sexta-feira, concordando em “fortalecer a cooperação” no combate ao novo coronavírus, mas não debateram um adiamento da Tóquio 2020 nem realizá-la sem espectadores, disseram autoridades japonesas.

Após a ligação, Trump escreveu no Twitter que disse a Abe “que a instalação olímpica recém-completada é magnífica. Ele fez um trabalho incrível, que o deixará muito orgulhoso. Coisas boas acontecerão para o Japão e seu ótimo primeiro-ministro. Muitas opções!”

Na quinta-feira, Trump disse aos repórteres na Casa Branca que “não consigo imaginar não ter ninguém lá”, referindo-se aos Jogos de Tóquio. “Acho que se você cancelar, fizer um ano mais tarde é uma alternativa melhor do que fazer sem público.”

Em resposta, a ministra da Olimpíada, Seiko Hashimoto, disse aos repórteres: “O COI (Comitê Olímpico Internacional) e os organizadores de 2020 não estão cogitando de maneira nenhuma cancelar ou adiar os Jogos. Ouvi que estão levando adiante os preparativos para Jogos seguros e protegidos, como planejado, para o dia da abertura de 24 de julho.”

Há 1.387 infecções confirmadas no Japão, incluindo 697 de um navio de cruzeiro que ficou várias semanas atracado na cidade portuária de Yokohama, de acordo com a emissora pública NHK. Até a manhã desta sexta-feira, o vírus havia matado 26 pessoas no país, sendo 7 no navio, mostrou a contagem.

O Japão vem tentando acabar com a especulação de que o evento, que já custou ao país ao menos 12 bilhões de dólares de preparativos e atraiu mais de 3 bilhões de dólares de patrocínios domésticos, pode ser cancelado ou adiado agora que o número de pessoas infectadas em todo globo chegou a 127 mil.

A epidemia está prejudicando as viagens internacionais e afetando eliminatórias olímpicas e outros eventos esportivos. Autoridades de saúde pública desaconselham grandes aglomerações na tentativa de conter a disseminação da doença altamente contagiosa. Grandes torneios de futebol, jogos da NBA e outros eventos esportivos foram suspensos.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up