for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Tênis feminino considera pagamentos maiores e estender circuito para compensar perdas

Tenista Aryna Sabalenka durante semi-final contra russa Svetlana Kuznetsova 28/02/2020 REUTERS/Ibraheem Al Omari

MUMBAI (Reuters) - Com jogadoras de ranking mais baixo sofrendo financeiramente com a paralisação do tênis por causa do coronavírus, a Associação de Tênis Feminino (WTA) disse nesta terça-feira estar trabalhando para aumentar os ganhos das atletas quando o esporte recomeçar e pode estender a temporada de 2020.

A temporada parou no início de março devido ao vírus, deixando jogadoras dos escalões mais baixos sem nenhuma oportunidade de ganhar a vida.

“A WTA está trabalhando diligentemente com nossos torneios para maximizar as possibilidades de ganho quando o circuito profissional de tênis puder ser retomado e está considerando uma extensão da atual temporada de 44 semanas para permitir a realização de mais torneios”, disse a associação em comunicado em resposta a perguntas da Reuters.

“É nossa esperança retornar à quadra o mais rápido possível - quando a saúde e a segurança de nossas jogadoras, torcedores e equipe estiverem garantidas, voltaremos a competir”.

ATP Tour masculino e a WTA, que administra o circuito feminino, suspenderam todos os torneios até 7 de junho, depois que os países começaram a fechar as fronteiras para conter o coronavírus.

A Federação Internacional de Tênis (ITF), órgão que governa o esporte, também adiou seu World Tennis Tour até 8 de junho.

O WTA Finals, de 1 a 8 de novembro, é o torneio que encerra a temporada no calendário feminino antes de uma paralisação de oito a 10 semanas.

O circuito masculino também está trabalhando nos bastidores e procurando maneiras de apoiar os jogadores.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up