for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Chama olímpica chega a Fukushima para exibição em cerimônia discreta

FUKUSHIMA (Reuters) - Os organizadores de Tóquio 2020 deixaram nesta quarta-feira a chama olímpica nas mãos da prefeitura de Fukushima, onde estará em exibição neste mês depois que os Jogos foram adiados por um ano devido ao surto de coronavírus.

Chefe do gabinete de cultura e esporte de Fukushima, Makoto Noji, segura lanterna com chama olímpica 01/04/2020 Kyodo/via REUTERS

A entrega ocorreu em uma cerimônia discreta no Centro Nacional de Treinamento J-Village, em Fukushima, que originalmente era o ponto de partida do revezamento da tocha.

Apenas o chefe de operações de Tóquio 2020, Yukihiko Nunomura, fez a viagem do comitê organizador ao norte do país.

“Isto é (símbolo de) esperança para o mundo celebrar o melhor dos seres humanos até Tóquio 2020 depois de superarmos o grave coronavírus”, disse Nunomura no início da cerimônia.

Ele então entregou a chama olímpica a Makoto Noji, do governo de Fukushima.

“Acredito firmemente que a partida da chama olímpica do J-Village no próximo ano será uma forte mensagem de que podemos superar qualquer dificuldade”, afirmou Noji.

“(É) símbolo de esperança - depois de superarmos essa doença por coronavírus que estamos enfrentando agora, com o povo, não apenas do Japão, mas de todo o mundo.”

A chama permanecerá em exibição no J-Village até 30 de abril, antes de ser transferida para Tóquio. Os organizadores ainda não decidiram onde será exibida na capital japonesa.

O Comitê Olímpico Internacional e o governo japonês sucumbiram à intensa pressão de atletas e entidades esportivas de todo o mundo na semana passada, concordando em adiar os Jogos por causa da pandemia de coronavírus.

A Olimpíada de Tóquio ocorrerá de 23 de julho a 8 de agosto de 2021.

O J-Village foi escolhido como ponto de partida do revezamento da tocha de 121 dias, que deveria começar em 26 de março, porque é um símbolo da reconstrução do Japão após o terremoto e tsunami de 2011.

Reportagem adicional de Yu Takito

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up