for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Hamilton diz que críticas sobre “silêncio” não eram dirigidas a rivais da F1

Piloto Lewis Hamilton durante GP da Austrália 12/03/2020 REUTERS/Tracey Nearmy

(Reuters) - O seis vezes campeão mundial Lewis Hamilton disse que não estava mirando rivais na Fórmula 1 quando condenou o silêncio do esporte sobre a injustiça racial e a falta de diversidade.

Hamilton, que inicia sua tentativa de conquistar o sétimo título no Grande Prêmio da Áustria no domingo, foi um dos principais defensores do movimento Black Lives Matter e da igualdade racial.

O piloto de 35 anos da Mercedes, que vai usar macacão preto e dirigir um carro preto com a mensagem “End Racism” nesta temporada, criticou no mês passado aqueles que não se pronunciaram sobre o racismo.

“Vejo aqueles que ficam calados, alguns de vocês são as maiores estrelas, mas ficam calados no meio da injustiça”, disse o britânico, referindo-se ao assassinato de George Floyd, um negro desarmado que morreu após ter seu pescoço pressionado pelo joelho de um policial branco nos Estados Unidos.

Hamilton, o único piloto negro na F1, explicou em um vídeo divulgado pela empresa-mãe da Mercedes, Daimler, que estava abordando o mundo do automobilismo como um todo.

“As pessoas entenderam como se eu estivesse mirando os pilotos”, disse ele.

“Eu realmente não estava. Era direcionado a todo o setor. E isso é algo que eu conheço há muito, muito tempo, e não vi ninguém fazendo nada a respeito.”

“As pessoas caladas é algo que eu vivencio há tanto tempo, e agora não é hora de ficarem caladas. Este é um momento para ajudar a espalhar a mensagem, de nos reunirmos”, completou.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up