for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Djokovic acusa críticos de “caça às bruxas” e está indeciso sobre Aberto dos EUA

Tenista Novak Djokovic durante partida contra Borna Coric 20/06/2020 REUTERS/Antonio Bronic/

BELGRADO (Reuters) - Novak Djokovic acusou os críticos de submetê-lo a uma “caça às bruxas” depois que seu evento regional de tênis Adria Tour terminou com jogadores testando positivo para coronavírus e disse que ainda não tinha certeza se disputará o Aberto dos EUA, de 31 de agosto a 13 de setembro.

Imagens e vídeos dos atletas se abraçando na rede, jogando basquete juntos e festejando no torneio foram publicados nas mídias sociais.

O número um do mundo Djokovic, o sérvio Viktor Troicki, o búlgaro Grigor Dimitrov e o croata Borna Coric testaram positivo para o vírus e o evento teve que ser cancelado.

Djokovic, que deu positivo para Covid-19 após a segunda etapa do Adria Tour na Croácia, respondeu aos que disseram que ele era irresponsável por organizar evento em meio à pandemia.

“Só vejo críticas ultimamente e muitas delas são maliciosas”, disse Djokovic à edição de quarta-feira do jornal sérvio Sportski Zurnal. “É obviamente mais do que apenas crítica, é como se houvesse uma agenda e uma caça às bruxas.”

“Ainda não decidi se vou jogar o US Open, o aumento nos casos de Covid-19 nos Estados Unidos e em particular Nova York não está jogando a favor do evento”, acrescentou Djokovic, que voltou a treinar na terça-feira com Troicki.

Djokovic teve resultado negativo após segundo teste realizado na semana passada e reiterou que agiu de boa fé ao “organizar um evento humanitário para ajudar jogadores e federações de tênis na região (dos Bálcãs)”.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up