for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Títulos do Aberto dos EUA não serão desvalorizados por desistências, diz Navratilova

Ex-tenista profissional Martina Navratilova em Londres 30/06/2019 REUTERS/Simon Dawson

(Reuters) - Martina Navratilova não acredita que os títulos do Aberto dos Estados Unidos deste ano terão menos importância, apesar de vários jogadores renomados terem desistido do torneio devido à pandemia de Covid-19, disse a 18 vezes campeã de Grand Slam.

A chave feminina viu seis das 10 melhores jogadoras, incluindo a atual campeã Bianca Andreescu e a número um do mundo Ash Barty, desistirem do torneio, que acontecerá de 31 de agosto a 13 de setembro.

Entre os homens, o número dois do mundo Rafael Nadal também não defenderá seu título e o suíço Stan Wawrinka não viajou a Nova York para o Grand Slam de quadra dura no qual já foi campeão.

“Não vou ver os vencedores de forma diferente, não haverá um asterisco”, disse Navratilova à BBC.

“Sabemos que no longo prazo 2020 é diferente, mas todos estão na mesma situação e veremos quem aproveita ao máximo.”

A norte-americana Serena Williams também afirmou que as desistências não vão tirar o brilho caso ela iguale o recorde com o 24º título de Grand Slam.

“Obviamente, é um pouco mais fácil para o vencedor porque eles não têm muitos jogadores de alto nível, especialmente do lado feminino”, disse Navratilova.

“Mas eles não colocaram um asterisco em Wimbledon 1973 quando a maioria dos jogadores não atuou por causa de um boicote e eles não colocaram no Aberto da Austrália quando muitos dos tenistas não foram lá.”

“Não tratamos a vitória de Marion Bartoli em Wimbledon 2013 de forma diferente, embora ela não tenha jogado com ninguém classificado acima do 17º lugar - é assim que a chave funciona”, acrescentou.

Reportagem de Sudipto Ganguly em Mumbai

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up