for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Criador do Football Leaks diz ao tribunal ter orgulho de revelações

Rui Pinto aguarda julgamento em Lisboa 04/09/2020 REUTERS/Rafael Marchante

LISBOA (Reuters) - O português responsável pelo site Football Leaks disse no início de seu julgamento, nesta sexta-feira, que estava orgulhoso de ser um denunciante sobre as transações lucrativas dos clubes de futebol europeus.

Rui Pinto, um ex-estudante de história de 31 anos, enfrenta 90 acusações --que vão desde acesso não autorizado a dados e violação de correspondência a tentativa de extorsão-- em processo no Tribunal Criminal Central de Lisboa.

“Não me considero um hacker. Sou um denunciante...Meu trabalho contribuiu para a liberdade de expressão”, disse ele, usando uma máscara anticoronavírus e vestindo jeans e tênis.

“As revelações são graves e estou orgulhoso, não há vergonha. Não fiz nada por dinheiro”, acrescentou Pinto, que já havia se declarado militante contra a corrupção.

Os dados do Football Leaks mostraram como algumas das figuras mais ricas e proeminentes do futebol evitaram impostos canalizando ganhos para o exterior, além de fornecer informações sobre indivíduos e organizações ricos do Golfo que se tornaram influentes no esporte.

Também apontou enormes somas que circulam pelos principais clubes e a maneira desigual como as autoridades aplicam as regras.

Os documentos forneceram algumas das evidências que levaram à punição --depois anulada-- do Manchester City de competir na Liga dos Campeões por supostas violações das regras do Fair Play Financeiro.

Pinto foi preso na Hungria em janeiro de 2019, embora depois tenha sido libertado da prisão domiciliar e agora está sob proteção de testemunhas. Ele pode pegar no máximo 25 anos de prisão

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up