for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

Valcke e presidente do BeIN Sports vão a julgamento na Suíça por direitos de TV

03/07/2020 REUTERS/Annegret Hilse

BELLINZONA, Suíça (Reuters) - O ex-secretário-geral da Fifa Jérôme Valcke e o presidente do grupo de mídia do Catar BeIN Sports, Nasser Al-Khelaifi, foram a julgamento na Suíça nesta segunda-feira pela concessão dos direitos de televisão para a Copa do Mundo e a Copa das Confederações.

Valcke, de 59 anos, já banido pelo comitê de ética da Fifa por 10 anos devido a violações de ética, foi acusado de aceitar subornos, má administração criminosa agravada e falsificação de documentos.

Al-Khelaifi, que também é presidente do campeão francês Paris Saint-Germain e faz parte do comitê executivo da Uefa, órgão do futebol europeu, foi acusado de incitar Valcke a cometer má administração criminosa agravada.

Ex-jogador da Copa Davis pelo Catar, Al-Khelaifi, de 46 anos, é considerado um dos homens mais poderosos do futebol europeu.

Ambos, que estiveram presentes no tribunal, negam qualquer irregularidade, e os advogados de Al-Khelaifi disseram que a maioria das ações não se aplica ao seu cliente.

O julgamento na Suíça, onde fica a sede da Fifa, deve durar até 25 de setembro e os três juízes federais devem dar um veredicto até o final de outubro.

Valcke foi secretário-geral do órgão dirigente do futebol mundial por oito anos até 2015, supervisionando a organização da Copa do Mundo na África do Sul em 2010 e no Brasil em 2014.

Os promotores suíços investigam irregularidades em torno da Fifa desde 2015, no pior escândalo de corrupção da história da entidade.

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up