for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up

PSG "apoia fortemente" Neymar em queixa de ofensa racial

Neymar discute com Alvaro Gonzalez durante partida do PSG contra o Olympique Marselha pelo Campeonato Francês 13/09/2020 REUTERS/Gonzalo Fuentes

(Reuters) - O Paris St Germain deu todo seu apoio a Neymar depois que o meia-atacante brasileiro relatou ter sido alvo de uma ofensa racial durante a derrota de 1 x 0 dos campeões franceses para o Olympique de Marselha no domingo.

Neymar, de 28 anos, um de cinco jogadores expulsos durante a partida no Parc des Princes, informou o quarto árbitro que ouviu um comentário racista quando saía de campo.

Em um comunicado emitido nesta segunda-feira, o PSG pediu que a liga francesa (LFP) investigue o caso.

“O Paris St Germain apoia fortemente Neymar Jr, que relatou ter sido alvo de uma ofensa racial de um jogador oponente”, disse o time.

“O clube reafirma que não existe lugar para o racismo na sociedade, no futebol ou em nossas vidas e conclama todos a se posicionarem contra todas as formas de racismo pelo mundo.”

“O Paris St Germain espera que a Comissão Disciplinar da LFP investigue e apure os fatos, e o clube continua à disposição da LFP para qualquer assistência exigida.”

Repleto de faltas, o confronto fervilhou no último minuto dos acréscimos, quando uma briga irrompeu em pleno gramado.

Neymar, Laywin Kurzawa e Leandro Paredes, do PSG, e Dario Benedetto e Jordan Amavi, do Marselha, foram expulsos depois que os jogadores entraram em confronto.

Neymar, que atingiu Álvaro González na nuca, tuitou depois da partida que seu único arrependimento foi não ter atingido o zagueiro rival no rosto.

Por Arvind Sriram e Hardik Vyas em Bengaluru

for-phone-onlyfor-tablet-portrait-upfor-tablet-landscape-upfor-desktop-upfor-wide-desktop-up